Reprodução: Ministério da Saúde

Prevenção, prevenção, prevenção …

Tem certas coisas que são inadmissíveis.

Em tempos de informação saindo pelo ladrão, ainda tem gente que prefere reproduzir informação falsa, não-confirmada ou especulação do que fazer simplesmente seu papel de ajudar na prevenção.

É o que está acontecendo com os vírus que são transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti.

Gravidade

Pior do que a ignorância é a desinformação. Tenho visto conhecidos de relacionamento em redes sociais reproduzindo mentiras sobre o Zika vírus, compartilhando farsas virtuais já desmascaradas pelo E-Farsas, como se estivessem prestando algum tipo de serviço comunitário. #SQN !!!

Reproduzo a seguir um informe publicitário de empresa de medicina em grupo que é um texto inicial bem qualificado para que todos os interessados façam pequenas pesquisas e possam ajudar nesta “guerra” que depende somente de nós pois tudo se resume em Prevenção… Prevenção… Prevenção…

Informe Publicitário

Proveniente  da Uganda, isolado na floresta de Zika há mais de 50 anos, o Zika vírus foi identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015 e tem como principal transmissor o mosquito Aedes aegypti, o mesmo responsável pela Dengue e Chikungunya.

O fator preocupante do Zika vírus é a sua associação com a microcefalia . De acordo com o Ministério da Saúde, 80% das pessoas infectadas não desenvolvem manifestações clínicas, que tem como principais sintomas : dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pela, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos, que desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias.

Neste contexto, as gestantes merecem atenção e devem ter todo cuidado com sua saúde, utilizando repelente permitido, seguindo à risca as orientações médicas e realizando exames necessários no pré-natal, já que por eles o médico será capaz de realizar o diagnóstico.

A microcefalia é uma condição neurológica na qual a circunferência da cabeça do bebê é significativamente menor que a de outros, por conta de uma malformação congênita em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada.

Para evitar o número de contaminações, principalmente em grávidas, é preciso prevenir, uma vez que não há vacinas contra o Zika vírus, nem tratamento específico, sendo indicado apenas o uso de Paracetamol ou Dipirona para controle da febre e manejo da dor. 

 

Dicas de Prevenção

  • Tampar caixas-d´água e recipientes com grandes volumes de água;
  • Manter calhas e passagens de água sempre limpas;
  • Deixar garrafas e outros vasilhames sempre virados para baixo;
  • Manter lixeiras bem fechadas;
  • Retirar água de chuva acumulada em lajes;
  • Encher pratinhos de plantas até a borda de areia seca;
  • Tratar piscinas  com cloro e outros desinfetantes;
  • Usar repelente sempre que houver manifestação de mosquitos.

 

Prevenção

Assim como tantas outras manifestações de vírus, a prevenção realizada por cada indivíduo, e o alerta para que os próximos a nós também sejam instruídos a prevenir é o único caminho. Esperar que autoridades sanitárias apresentem remédios, façam a prevenção que cabe a cada um de nós, não ajuda. Muito menos ir para redes sociais espalhar mentiras e farsas virtuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.