Mulheres Guerreiras Samurai

Mulheres guerreiras

Dia Internacional da Mulher

Falar de mulheres guerreiras, o dia internacional da mulher é lugar comum. A minha ojeriza por estes dias comemorativos me leva a ser uma espécie de “do contra”. Afinal, alguém tem que ser diferente, até para garantir que Nélson Rodrigues esta certo sobre as unanimidades.

Falar de mulheres guerreiras deveria ser algo natural, entretanto, não é, até a próprias mulheres (a maioria, existem exceções) ficam buscando ícones. Esta busca, esta idolatria em dias como este, só ressaltam as diferenças, só alimentam os ideais de imbecis sexistas.

Mulheres Guerreiras

As mulheres guerreiras sempre foram escondidas pelas história. Tenho observado, em séries de TV como VIKINGS, que a postura histórica dos enredos tem mudado muito. Entretanto, muito mais está escondido, o preconceito, sexismo descarado e agora o chamado feminicídio, ainda são bastante praticados em sociedades que vivem de forma medieval, ou até mesmo pré-histórica, como acontece no Brasil.

Tenho lido muito as obras “A Arte da Guerra” de Sun Tzu e “O Livro dos Cinco Anéis” de Myamoto Musashi. Estes livros de cabeceira, adicionados a outros de conteúdo filosófico e sócio-comportamental que me inspiram revelam que a história é contada pelos “vencedores” e esconde mais do que mostra.

Fica a dúvida, será que as mulheres guerreiras usaram a estratégia errada?

7-5-3 Bushido Code

No linguajar do guerreiro samurai, existe um código, o Bushido Code. Baseado em 7 (sete) virtudes, 5 (cinco) chaves para a saúde e 3 (três) estados da mente.

Fico imaginando se as mulheres guerreiras, estas do nosso cotidiano, praticam o código Bushido com mais qualidade e intensidade do que os homens. Certamente, as que tem dupla ou tripla jornada, em um mundo cão que as obriga, às vezes, enterrar seus filhos, praticam sem nem perceberem.

Mulheres Samurais

Talvez, por questões da educação que recebi, e que vejo reproduzida na educação de outras culturas, inclusive orientais, que as mulheres são discriminadas. Muito recentemente, passei a ter conhecimento sobre a história de Maria Madalena, a verdadeira e não a contada pelos que transcreveram a Bíblia.

Parece uma coisa paranoica, e com certeza é. Mas ao mesmo tempo que uma história era escrita no norte da África e Oriente Médio, onde as mulheres guerreiras e revolucionárias eram alijadas da sociedade, em outros espaços como os países nórdicos, oriente asiático, a mesma postura era reproduzida.

O exemplo das mulheres guerreiras samurais é o mais claro. Numa visita que fiz à Coreia do Sul, procurei entender um pouco da história deste povo. E o que vi foi a reprodução da discriminação. O ritual do chá me impressionou. A simbologia das vestimentas mais ainda.

A visão das mulheres guerreiras é limitada, mas fica pio quando vemos que não existe a visão das mulheres educadoras, como se não fossem as mães a darem a primeira educação a todos guerreiros e não guerreiros.

Ocidente

Nem falo da questão vigente no ocidente,na qual as mulheres foram relegadas, por conta de religião e outros dogmas a atividades estritamente determinadas por homens. A luta é antiga e inglória. O que fica pior quando muitas mulheres se voltam contra as verdadeiras mulheres guerreiras.

Nos últimos tempo, especialmente no Brasil, o movimento sexista recrudesceu. O atraso que vivenciamos, se comparado com a “libertação” sexual de poucas décadas passadas, assusta.

O retrocesso é enorme, especialmente no mundo dominado por homens religiosos. A hipocrisia com a liberdade feminina campeia, e vemos, atualmente, mulheres na política brasileira lutando e defendendo posições contra as próprias mulheres.

Na realidade, o fim do mundo aconteceu antes que as mulheres pudessem mostrar o quanto são guerreiras.

 

Imagem: Reprodução Internet

P. S. – Reitero o pedido feito na página de “Advertências” deste espaço virtual. Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas. Coloquem aqui nos comentários ou na página do Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.