Falta de Respeito

O Fim do Mundo (2)

A teoria do fim do mundo em 2012, como previram os Maias, serve de inspiração para esta nova série em que fatos do cotidiano que podem ser traduzidos como sinais dos efeitos do fim do mundo.

Gentileza não gera gentileza

Foi-se o tempo em que a parábola de “dar a outra face” era uma coisa aceitável.

A falta de gentileza e respeito humano viraram prática comum. As pessoas tratam a falta de respeito como uma coisa normal. Adesivos de “Gentileza gera gentileza” são mera retórica. Igual pedir para respeitar lugar marcado em estádio de futebol.

O mundo acabou !

Trânsito

Um dos espaços em que o egoísmo, a falta de respeito, a falta de civilidade estão campeando é no trânsito. Levar vantagem é pouco. O cara Quer entrar na frente do outro somente por ter acionado a seta, quando aciona. Dirigir e usar celulares e redes sociais virou regra. Aí de você se olhar com cara de bravo para os(as) imbecis ao volante. Acreditam que conseguem fazer as duas coisas com qualidade. Não conseguem nem uma delas.

Caso concreto

A imagem de destaque deste post aconteceu comigo. Tenho usado de vagas para pessoas com dificuldade de locomoção desde meu acidente algum tempo atrás. Não abuso. Se vejo que as vagas são concorridas, procuro outras ou me viro.

Neste sábado, cheguei na porta do clube, e as motos da foto estavam ocupando uma das duas vagas separadas para o uso de necessidade de mobilidade. Esperei algum tempo, estacionei em outro lugar assim que apareceu uma vaga e fui para atividades no clube. Voltei, mais de três horas depois e os motoqueiros (não são motociclistas, NUNCA SERÃO) estavam saindo aos poucos. O segurança da portaria, ao interpelar um deles, para que não usasse a vaga específica, ainda ouviu desaforos.

A falta de respeito com as pessoas no trânsito é um indicador sério de que o mundo acabou. E está piorando. Todo cuidado é pouco. Fico pensando na educação que os pais tentaram dar a este tipo de gente individualista. Ou será que os pais ensinaram foi deste jeito mesmo?

Foto: Evandro Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.