Barragens da VALE

Não foi acidente (4)

O Crime

Uma barragem da mineradora Samarco, controlada pela Vale e BHP, localizada no município de Mariana (MG), rompeu-se no dia 5 de novembro de 2015, deixando um rastro de 19 mortos (um corpo ainda não encontrado) e o maior desastre ambiental, não natural, do Brasil e possivelmente do mundo, nos últimos tempos. Não foi devido a força da natureza ou acidente natural. Era a crônica de um crime anunciado. Crime que segue cheio de desculpas, cheio de atos duvidosos, cheio de enrolação.

A enganação continua

A população prejudicada vem sendo enrolada. Chegou-se ao cumulo de doações feitas para população atingida, em Governador Valadares ser roubada e desviada. Os caras perderam a compostura, se é que um dia possuíam, a votação do impeachment, além de provocar a paralisação de qualquer assunto relacionado ao crime pelo qual a Samarco é responsável, permite que o sentimento de impunidade reine até em gatunos de doações. Na relação de deputados que votaram a favor do impeachment, além daqueles que estão sendo processados por corrupção (confiam na impunidade e acobertamento do Judiciário), alguns deles, eleitos pelo povo de Minas Gerais, receberam polpudas contribuições da Samarco. Até quando?

A Samarco tem usado de comunicados lacônicos para dizer que fez seu “acordão” com autoridades e setores públicos e tá “tudo bem”. O mais recente diz que “dentro do escopo do acordo assinado entre a Samarco, seus acionistas (Vale e BHP) e os governos federal, de Minas Gerais e do Espírito Santo, está contemplada a criação de um memorial na área do antigo Bento Rodrigues. Essa ação se encontra em fase inicial de tratativas junto à Prefeitura Municipal de Mariana e demais órgãos públicos”. E, sorrateiramente, pretende usar o espaço do Bento para um depósito grande de rejeitos, soterrando, definitivamente, parte do trajeto da Estrada Real. É isto mesmo? Comete crime, quer continuar e avançar na degradação?

O que vem por aí

Mas as péssimas novidades não param por aí. A Vale tem projetos para implantar novas barragens na bacia do Rio das Velhas, próximo a grandes espaços urbanos. Caso a população (eleitores) mineiros deixem de lado as questões dos crimes cometidos pela Samarco e não discutam o absurdo que a Vale tenta implementar na região metropolitana de Belo Horizonte, teremos mais crimes cometidos em breve, sem solução, financiados pela omissão dos políticos eleitos com dinheiro da lama da mineração e pelos que se locupletam desta situação.

A Samarco manda release para a mídia dizendo “… a lama parou de vazar …”. Jura? Tem certeza? Não nos esqueceremos! Estaremos atentos e alertando os eleitores que acham que podem tirar presidente mas não ligam para suas vidas.

Infográfico: Página “Água Vale Mais”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.