Hipertensão

Calamidade epidêmica

Epidemia, de forma geral, é uma situação em que um tipo de doença desenvolve numa região de maneira rápida e com muitas vítimas.

Calamidade, scricto sensu, é uma catástrofe, desastre, ou uma desgraça pública que fica sem controle e as ações passam a ser corretivas e curativas, ao invés de preventivas.

Hipertensão

De forma simplificada, o sangue que precisa ser bombeado por todo o corpo para irrigar os órgãos, e faz uma pressão sobre a parede das artérias. Quando a circulação deste sangue é dificultada por alguma barreira temos a situação de hipertensão, conhecida como pressão alta, que pode provocar danos ao coração, ao cérebro, aos rins e outros órgãos.

A hipertensão é uma das doenças mais perigosas e mortais. Silenciosa, não dá sinais perceptíveis. Quando se manifesta por ser fatal. Todo adulto deve fazer medidas e procurar um médico quando suspeitar que pode estar com algum sintoma ou quando alguém da família tem diagnosticada a doença.

Causas

Existem fatores externos ao nosso corpo que ajudam na hipertensão, dentre eles questões de hereditariedade, a idade, traços e características raça de cada pessoa e principalmente, o peso a pessoa. Estes fatores juntos agravam a situação.

Existem ainda os fatores relativos aos hábitos de cada um, diferentes entre todos, como falta de exercícios físicos, má alimentação, tabagismo, excesso de sal, uso de álcool e estresse, que acumulados propiciam o aumento da possibilidade de agravamento do quadro clínico.

Calamidade Pública

Assim como outros eventos não naturais, a hipertensão transformou-se em calamidade pública. Muito embora os serviços de saúde pública, e em alguns casos até empresas, se preocupem com este tema, com palestras, orientção, tratamentos, a doença saiu de controle, no Brasil já atinge 35% da população.

A situação fica pior quando as exigências sobre o comportamento das pessoas ultrapassa os limites de qualidade de vida. O jeito que cada pessoa tem vivido provoca o aumento de acometidos desta doença que exige mudança de hábitos de forma radical.

Procure os programas de hipertensos da rede de saúde pública mais perto de sua casa, antes que um mal maior aconteça. Mais de 1/3 da população classificada como hipertensos não é uma simples questão estatística.

 

Imagem: Reprodução Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.