Serra da Moeda

Passeio bate e volta a partir de BH (13)

Inspirado em um artigo do site cultural sobre Minas Gerais, resolvi recomendar roteiros de passeio, atividade de um dia, algo do tipo vai cedo, almoça e volta ao final do dia. Ou vai no sábado pela manhã e volta no domingo à tarde.

As dicas vale para quem é de BH e pensa que não tem alternativas baratas de passeio e lazer. Ou para belo-horizontinos que recebem visitantes de outros estados e ficam com poucas opções de mostrar as coisas de Minas. Adotei uma regra que é indicar somente roteiros de bate-e-volta a menos de 150 km de Belo Horizonte onde é possível ir e voltar em menos de duas horas, de carro. Este roteiro tem sido bem recebido e pode se tornar algo mais independente num blog próprio.

O topo da serra

Inserido no circuito denominado “Circuito Veredas do Paraopeba”, onde muitos municípios foram criados em tempos recentes de absurdos políticos para criação de cargos e estruturas ineficientes de administração Municipal, Moeda é integrante também do “Circuito Estrada Real” e considerado dos mais antigos. Distante 60km de Belo Horizonte, sua serra possui uma das vistas mais deslumbrantes das montanhas de Minas e conhecida por ser plataforma de partida para saltos em artefatos voadores.

Diversidade

Além de montanhas, rios, pedreiras, sempre vivas, orquídeas, bromélias, xaxins, campos de serra e nascentes com quedas d’água , estradas feitas pelos escravos, antiga fazenda de fundição de moedas falsas, acesso rápido e fácil partindo de BH, Moeda conseguiu criar hábitos preservacionistas numa região de mineração, difíceis de serem mantidos. Possui condomínios de alto padrão, restaurantes típicos com alimentação de qualidade, hospedagem para turismo e lazer e uma infinidade de espaços para esportes radicais, caminhadas, banhos de cachoeira, tradições culturais e históricas. É possível, em Moeda e cidades experimentar doces tradicionais além de cachaças e cervejas artesanais de altíssima qualidade.

Assim como muitas outras cidades próximas à capital, Moeda mas esconde do que divulga seus tesouros locais. Chegue ao município de descubra muitas destas maravilhas. Possivelmente, um dia será pouco. Outros finais de semana merecerão seu retorno. Com  chegada das madrugadas e manhãs frias, o clima nem parece das Minas Gerais. Névoas densas, estradas perigosas descendo a serra, todo cuidado é pouco.

Passar um dia na região e aproveitar o final do dia no topo da serra, não tem preço. A visão de vários municípios do Circuito, das montanhas e vales, especialmente os do Circuito do Paraopeba são imperdíveis.

 

Como chegar

Para não ficar limitado a um local , vá de carro ou moto. Em ambos os casos, se for capaz de rodarem estradas de terra, melhor ainda. A hipótese de transporte público é péssima. A proximidade com a BR040 facilita tudo que diga respeito a infraestrutura e necessidades básicas. O posto, talvez entreposto seja melhor, localizado Na região denominada Jardim Canadá, na região de Nova Lima, seja a melhor referência para início do passeio ou como ponto de encontro. É passeio de um dia indo cedo e voltando à tardinha. Se a opção for por dois dias, outros municípios e passeios podem ser incluídos na região do Vale do Paraopeba.

Foto: PWCA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.