Dia do Trabalhador. É do Brasiiiilllll…siiiillllll iillllll !!!

Dia de Luta

Em tempos de precarização do trabalho, em tempos de guerras ingratas entre profissionais de quase todas categorias, em tempo de vale tudo na disputa por um trabalho e emprego, não vejo muito o que comemorar neste dia do trabalhador (me recuso a vê-lo como um dia do trabalho).

Precarização

A luta contra a precarização ganhou alguns contornos de esperança quando avançamos em grupos no movimento Mundo Trabalho contra a Precarização. Entretanto, quanto mais avançamos mais percebemos o quanto os trabalhadores, principalmente os terceirizados, sofrem com o rebaixamento de qualidade do trabalho conquistado a duras penas por categorias inteiras. A terceirização mutila e mata. E pode ser a responsável pelo declínio do movimento sindical.

O Poder

É mais do que notório que o capital está no poder. O trabalhador anda é obrigado a lutar por direitos básicos. O preconceito de classes deu as caras no país quando a Casa Grande viu a Senzala parindo profissionais que nunca tinham chegado tão longe. Assustaram tanto que promoveram o ódio. E vão continuar. Direitos adquiridos e evolução dos salários, aumento do emprego serão culpados pela ganância, corrupção e tudo mais.

Lamentavelmente, os podres poderes articulam para retirar direitos como os conquistados para reajuste de salários mais baixos, retirar direitos sobre trabalhadores domésticos, retirar, cada vez mais, direitos previdenciários de seguridade a aposentadoria. As investidas do poder capitalista encastelado em instituições como FIESP, confederações patronais, no Poder Legislativo e Judiciário, que se concedem aumentos e benefícios às escancaras, é por demais forte. Estão matando e mutilando. Continuaremos lutando.

Pulitzer na Fotografia

Queria representar algo de vitorioso e nada mais apropriado do que homenagear neste dia um profissional cuja categoria tem sofrido horrores com o avanço de tecnologias e com a total falta de escrúpulos dos “capetalistas”. Temos relatos que jornais e portais estão pagando R$2,00 (DOIS REAIS) por fotografias de cotidiano e outras editorias menos evidentes. Para esportes, as fotografias chegam a ser gratuitas até para portais e jornais que pagavam razoavelmente. Uma profissão onde a terceirização e precarização, em detrimento do conteúdo da qualidade e outros atributos, está sofrendo.

Maurício Lima, Pulitzer de Fotografia de Reportagem

Maurício Lima, Pulitzer de Fotografia de Reportagem Reprodução: Vídeo Internet

O homenageado, em nome de todos os trabalhadores, é o fotógrafo brasileiro, Maurício Lima que foi agraciado com o Prêmio Pulitzer, na categoria “Fotografia de Notícias”, e que lançou um manifesto digno de um grande trabalhador, justamente quando os maiores veículos de comunicação o saudavam como herói. Ao receber outro prêmio – o John Faber Award, do Overseas Press Club, ao final do discurso, Mauricio sacou um cartaz com os dizeres “GOLPE -NUNCA MAIS” (a letra O foi substituída pelo símbolo da Rede Globo de Televisão).

Parabéns Mauricio Lima, parabéns trabalhador(a), pelo seu dia !!!

Imagem: PortoGente.Com.Br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.