Alegria por LaerteBraga

Uma inteligência que se vai

Desde o advento da Internet, a maioria das amizades e novos relacionamentos que tenho feito são, num primeiro contato pela rede, após conhecer pessoalmente, as coisas ficam mais concretas. A amizade se consolida ou se esvai. Não tem meio termo.

Perdi um amigo.

Conheci Laerte Braga assim. O motivo era espinhoso. Tanto ele como eu e outras pessoas, desconfiávamos das tais máquinas de votar “100% seguras”, tipo La garantia soy yo. Depois de muita prosa em ambientes virtuais, conheci-o numa viagem de férias. A confiança só aumentou.

Laerte conseguiu debater comigo, discordando, sobre futebol e política. Foi dos raros que misturava estas editorias com extrema sabedoria. O Tricolor das Laranjeiras perdeu um torcedor de extrema qualidade.

Talvez em sua última postagem Laerte tenha expressado tudo que estava vendo neste conturbado momento político. Escreveu no seu perfil do Facebook “Esse negócio de ficar chamando a turma do golpe de máfia, ainda vai dar confusão com as máfias verdadeiras. É que mafiosos têm honra e golpistas não sabem o que é isso.”

Lógico que eu discordava dele. Sou adepto (já escrevi isto em posts aqui) do síndico Tim Maia (não pode dar certo um país que cafetão apaixona, traficante é viciado, pobre vota em direita …). A máfia no Brasil NAUFRAGOU. A FIFA no Brasil naufragou…

Laerte, num post no primeiro semestre de 2014, bem antes dos candidatos à eleições presidencial serem escolhidos, vaticinava: “O Brasil corre o risco de cair de joelhos novamente, como foram os oito anos de FHC, sem contar a chance de golpes brancos...” em uma coluna intitulada “Brasil para principiantes“.

Num outro post, mais próximo das eleições presidenciais, ao avaliar o peso dos pequenos partidos, tece duras críticas a tudo e a todos… com extrema racionalidade e elevada propriedade, reforçando o termo “golpe branco” que ele iniciou. Ele dizia “Não existe no Brasil uma legislação partidária ou uma eleitoral. Mas decisões tomadas segundo as conveniências e interesses de grupos políticos e econômicos e partidos fundados aos borbotões para servir a tais objetivos. Aqui a justiça eleitoral legisla, censura, toma partido, não julga questões controversas para não contrariar ninguém, exceto quando contrariar significa beneficiar ministros, vai por aí afora.”

Laerte, descanse em paz. Espero que o golpe branco não tenha te derrubado fora do combinado. Estaremos lutando por aqui.

Foto retirada do álbum de Laerte Braga no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.