Pensar - Trabalho Pesado

A juventude, a pressa e os “isentões”

É muito comum vermos usuários de redes sociais, em seus perfis, copiando coisas sem saber o que significa, sem saber a veracidade da informação que compartilham ou retuitam. Virou moda posar de sabichão e esclarecido quando, na realidade, mal sabem a diferença de mudança, reforma, revolução, resistência.

Num sistema social, existem temáticas que são vitais para a vida de todos. A política é uma delas. A utopia da Anarquia é somente utopia. Não importa o sistema de governo; revolução, resistência, reforma e mudança estarão sempre presentes e aqueles que ignoram as diferenças, não passam de inocentes úteis ou massa de manobra, não importando o credo, a cor, a raça, a formação educacional. Aliás, quanto mais a pessoa usa se diploma, mais tende a ser um analfabeto político.

Nossos jovens são impacientes com as preliminares essenciais às ações que gerem resultado. A organização efetiva é frustrada pelo desejo para mudança instantânea e dramática, ou como eu citei anteriormente pela demanda pela revelação ao invés da revolução. Este é o tipo de coisa que vemos nas peças de teatro; o primeiro ato introduz os personagens e o argumento, no segundo ato o argumento e os personagens são desenvolvidos ao passo que a peça vai obtendo a atenção da platéia. No ato final o bem e o mal tem sua confrontação dramática e a resolução. A geração atual quer ir direto ao terceiro ato, pulando os dois primeiros, e em tais casos não há sequer uma peça, nada além de confrontação pela causa da confrontação – uma luz é ofuscada, com o consequente retorno às trevas. Para se construir uma organização poderosa gasta-se tempo. É tedioso, mas esta é a maneira pela qual o jogo é jogado – isso se você quiser jogar e não apenas gritar “Matem o império”.

Reforma

Reforma Política é o nome dado ao conjunto de propostas,no caso do Brasil assumimos que pela via democrática deve se constituir de Emendas Constitucionais (EC), pretensamente com fins de tentar melhorar as regras estabelecidas, segundo seus defensores, mas que pode fazer com que se mantenha a correlação de poder com o falso ar democracia e “voz do povo”.

Mudança

Mudança é um fenômeno onde uma ordem estabelecida é substituída por outra. Tanto pode  ser na economia, política, ou outro setor. Uma mudança implica maioria, muitas das vezes surge a partir de uma massa crítica consistente e consciente (não se confunde com espontaneísmo e manipulação de massas). Uma mudança social pode ser muito mais do que discreta, manifestando-se como pequenas variações no comportamento das pessoas e setores mas que se tornam significativas e mudando a história.

Resistência

Movimento de resistência é o conjunto de iniciativas levado a cabo por um grupo de pessoas que defendem umacausa normalmente política, na luta contra um invasor em um país ocupado.

Resistência é um movimento ou comportamento de qualquer esforço organizado por defensores idealistas contra alguma autoridade constituída,seja ela política, administrativa, familiar etc. Movimentos de resistência podem incluir milícias, luta armada, ações isoladas contra uma autoridade, governo ou administração estabelecida ou imposta, inclusive visando pessoas que representam este poder instituído.

Revolução

Uma definição clássica é que, ao contrário da reforma, a revolução altera a estrutura social vigente, enquanto a reforma modifica apenas os aspectos acessórios do sistema. O exemplo mais límpido é o da Revolução Francesa, justamente porque esta mudou, numa conceituação singela, a estrutura social de nobreza, clero e plebe para burguesia e proletariado. É comum, como aconteceu no Brasil em 1964, setores divulgarem um golpe como sendo uma revolução. Um erro histórico e conceitual propagado até por professores.

Massa de manobra

Quem não consegue ver as diferenças, ou “dá de ombros” para as decorrências de cada uma destas situações de mudança da sociedade, não passa de massa de manobra, ou daquele analfabeto político denominado e descrito sabiamente por Berthold Brecht.

O Analfabeto Político

O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida,
o preço do feijão, do peixe, da farinha,
do aluguel, do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.

O analfabeto político
é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
nasce a prostituta, o menor abandonado,
e o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista,
pilantra, corrupto e o lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.

Isto é Brasil

Sou contra a generalização de que “o Brasil é assim”, desde o “Brasil Ame-o ou Deixe-o”. Algumas pessoas são assim.Infelizmente este número cresceu, os filhos destas pessoas foram adestrados pela TV, os netos dos adestrados são a geração “redes sociais”.

Aí aparecem nas redes sociais repetindo notícias da mídia, dando aulas para outras crianças abandonadas educacionalmente e culturalmente pelos pais e que serão protagonistas de outros episódios dantescos, sem nem saberem a diferença entre reforma, mudança, revolução e resistência.

Ao contrário da letra do MC Garden, que diz que isto tudo “É Brasil”, digo que NÃO É. Isto é parcela da sociedade que adora dizer que não discute política, que odeia política, que não é favor de ninguém e contra a corrupção e que na primeira oportunidade, oferecerá dinheiro ao policial para fazer vistas grossas, sonegará cada centavo que puder e gritará “é com meu dinheiro. Mal sabe ele que os benefícios do Poder Judiciário, corrigidos religiosamente acima da inflação pagariam benefícios sociais para milhões de necessitados. Mas continuarão com o discurso de “esmola não reforma nossa sociedade”. Educação reforma. Mas o poder instituído desde 1500 não vai deixar.

E tome golpe !!!

Imagem: Blog EdsonJNovaes

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.