Geracao Z - Uma Sub-Raça - Hedonismo Ôco

A geração do hedonismo oco

Geração do Hedonismo

A chamada “Geração Z”, é aquela fã da novelinha Malhação, uma vez que assistem o Gloob quando não estão na sala de aula; e que acreditam piamente que o mundo pode ser definido e debatido em 140 caracteres. Depois de ultrapassarem a fase de curar feridas com “merthiolate-que-não-arde“, esta turminha está avançando e contaminando até os chamados veteranos, Baby Boomers e aliciando incautos das gerações X e Y. Em outras palavras, praticam o hedonismo sem nenhum pudor e sem nenhum conteúdo, se acham ( e contaminam outras gerações ).

Impressiona como são hedonistas sem ao menos saberem o conceito e significado na filosofia conhecida como hedonismo.

Epicuristas

Falar que o mundo desta Geração Z gira, no máximo, um metro ao redor do próprio umbigo poderia parecer exagero, não é; e o problema agrava-se, portanto, com a contaminação provocada por eles. Posso ser classificado como Geração X e conheço várias pessoas da minha geração que são extremamente hedonistas, verdadeiros discípulos de Epicuro.

Sei de muitos aqui no Brasil que são adeptos da Lei de Gérson ou do chavão ” farinha pouca, meu pirão primeiro …”.

Em suma, a Internet, e estas redes sociais rasteiras e sem conteúdo, acirraram a expansão destes “epicuristas”, buscando a felicidade e fingindo que não existe dor.

Coxinhas

Além disso, o movimento político nacional visto após as eleições presidenciais de 2014, fez explodir esta geração Z cujos conflitos saíram do Gloob e são tão existenciais, exigentes e profundos quanto os diálogos da novelinha infanto-juvenil Malhação.

Uma geração fanática e hedonista, não possuem nenhum sentido coletivo de vida. Desse modo, querem impor seu hedonismo oco à força, acham que qualquer discordância em redes sociais é ofensa, vivem na ideia de meritocracia individual para prazer solitário.

Os pais conscientes desta Geração Z deveriam chorar lágrimas de verdade; e pensar que estavam lutando pelo “futuro do país”. Pior são os pais cegos que não conseguem acompanhar as modernas tecnologias e seus filhos e estão perdidos no tempo e espaço.

Se bem que alguns seriados hollywoodianos tem reproduzido este comportamento que parece ser de todas sociedades ditas “civilizadas”. Filhos que interagem mais com desconhecidos do que com os pais, mesmo estando sob o mesmo teto. A vida tem mostrado que a arte conseguiu expor o problema antes. Abrimos os jornais e vemos os absurdos inomináveis e quando buscamos a causa raiz, o comportamento oco das novelinhas está reproduzido na vida real.

Hedonismo oco

Tenho entrado em grupos e debates em que sou o mais velho, deslocado de geração, vejo os discursos e fico assustado. Alguns dos “epistemólogos” destes grupos tem tanto conteúdo quanto o miolo de um pote de barro. É “pacabá” !

Enfim esta geração Z, verdadeiros rebeldes sem causa, futurista de coisa nenhuma, comodista, pensadores de 140 caracteres provocam polêmica e discussão sem conseguirem sustentar o debate por 3 minutos ou 280 caracteres. Copiam descaradamente manchetes panfletárias e frases de déspotas esclarecidos como se isso fosse formação de opinião.

Entretanto, é triste constatar que, na realidade, são verdadeiros clones do “Mocotó” !

 

 

Charge: Chaunu

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referenciam-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.