Antonio Dias MG

Passeio bate e volta a partir de BH (18)

Inspirado em um artigo do site cultural sobre Minas Gerais, resolvi recomendar roteiros de passeio, atividade de um ou dois dias de puro lazer e cultura, algo do tipo vai cedo, almoça e volta ao final do dia ou no dia seguinte.

Neste post, teremos um exemplo de uma típica cidade mineira, logo ali, com matriz, estrada de ferro, rio e festa.

História e Cultura

A cidade tem festa neste período pois completa 310 anos. É dos municípios mais antigos da região conhecida como Vale do Aço. Antônio Dias de Oliveira, bandeirante que deu nome à cidade, está sepultado no adro da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré desde 1736. O fundador da cidade, Coronel Fabriciano Felisberto Carvalho de Brito, que deu nome a um município vizinho está sepultado na Igreja de São Geraldo. Além destas duas, merece visita a igreja do Arraial Velho.

Na curva do rio

Além de casario antigo com arquitetura original, muitas atrações naturais podem ser visitadas no município, inclusive alguma sem propriedades privadas que possuem até museu particular.

Trilhas, cachoeiras, matas, lagoas,na zona rural, estão abertas à visitação. Merecem ser vistas as cachoeiras Prainha, Serra Negra, Salto, Caxambu, e Cascatinha, além da Lagoa do Teobaldo e da Gruta de São Joaquim da Bocaina.

Diversas formas de expressão cultural como artesanato, grupos culturais de música e encenação são vistos em todos os finais de semana e em época de eventos festivos.

As opções de hospedagem, alimentação, serviços comerciais e bancários existem, mas são limitados. Típico de cidades de pequeno porte. Por ser às margens do Rio Piracicaba, recomenda-se cuidado com a época do ano pois pode fazer muito frio nas manhãs de inverno ou chuvosas.

Como chegar

O meio mais charmoso e que deve ser indicado primeiro é pegar o trem, de verdade, saindo da Praça da Estação em Belo Horizonte e descer na estação na cidade de António Dias, volta no dia seguinte. Sem sustos.

Indo pela Br381, saindo de BH em direção ao Vale do Aço, logo após Nova Era, existe o trevo para a cidade de Antônio Dias. É possível ir por Itabira e voltar à Br381 após a cidade de Nova Era, sem passar por João Monlevade, num percurso mais longo, porém mais bucólico e pitoresco. Como as obras de duplicação da 381 são um mistério este passeio justifica-se indo de trem e com todo tempo do mundo para apreciar as belezas de Minas Gerais e suas cidades interioranas.

Antonio Dias é dos raros casos em que a distância pelos acessos rodoviários é mais de 50% da distância em linha reta.

Foto: Brasil.Wikimapas.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.