Lento e Gradual

Manipulação de massas (7)

A manipulação

Existem muitas maneiras de se manipular as massas.

A cada dia, com a crise ética e de caráter que estamos vivenciando, fica mais claro como se faz necessário manipular as massas para que exista um pretenso clamor popular para determinadas manobras políticas.

A mistura de uma ou duas falácias, com o uso apropriado de figuras de linguagem, aparentemente inofensivas, permitem que um manipulador, até mesmo sem o dom da oratória, mas usando destas artimanhas da linguagem escrita, manipule até quem tem fundamentação para refutar a manipulação ou falácia, mas como o discurso é compatível com os desejos do leitor/ouvinte, temos o ambiente propício à enganação de massas.

O momento político nacional tem provocado em algumas pessoas um efeito perverso. Seja por preguiça ou má-fé, pessoas que aparentemente são “do bem”, se posicionam de forma a ser condescendente com a incompetência,  com a mediocridade, com pequenos delitos, numa forma de justificar grandes delitos.

Gradual

Nicolo di Bernardo dei Machiavelli era um filósofo, moderno, um pensador pragmático. Os pensamentos e teorias dele, recomendadas na obra “O Príncipe” são atualíssimas. Ele dizia, numa livre interpretação, entre muitas outras coisas, que para um príncipe se manter no poder deveria fazer o bem aos poucos, mas o mal deveria ser feito de uma só vez. E desse pensamento que surgiu a ideia de que os fins justificam os meios.

Antoine Laurente de Lavoisier, denominado pai da química moderna é autor de uma das mais célebres frases aplicadas em outros setores do conhecimento: “Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. E nossos políticos vão se transformando, da ideia de Maquiavel, aplica-se o tratado de Lavoisier e temos uma das formas mais eficientes de manipular incautos, analfabetos políticos e toda uma massa ignara.

Lento 

Quer fazer o mal, dê doses homeopáticas de malefícios alguns travestidos de benefícios mas que estarão “justificados” ao final.

Lentamente e com associação de falácias imperceptíveis para uma horda de manipulados pela mídia pode-se obter resultados maravilhosos, e o povão achando que repetindo as falácias parciais não acontece nada de resultado ruim no final.

Paul Joseph Goebbels, filósofo alemão e orador oficial do nazismo, era conhecido pela sua elevadíssima capacidade oratória e por aplicar “princípios” do nazismo como o de exagerar as más noticias até desfigurá-las transformando um delito em mil delitos criando assim um clima de profunda insegurança e temor. Daí surgiu afrase atribuída a ele de que “repita 1000 vezes uma mentira que ela de tornará real”. Tudo feito lentamente e com planejamento meticuloso.

Contemporâneo

No Brasil a situação é ainda mais complexa. As redes sociais propiciaram que pessoas totalmente despreparadas peguem uma notícia contendo premissas falsas e republiquem, compartilhem, curtam como se fosse uma notícia verdadeira, e não fosse parte de um intricado sistema político-econômico.

Embora seja quase subliminar, aquele apresentador ou apresentadora de TV que aparece todo dia na sua TV, com os mesmos chavões, é um disseminador e praticante da manipulação de massas. Só que ele é pior. Está a serviço de alguém que o paga muito bem para falar o que é necessário para manipulação. Em alguns casos, estes profissionais da mídia defendem somente o “leitinho das crianças”, em outros, são venais mesmo.

Dá pena ao vermos profissionais formados em escolas qualificadas, excelentes em suas profissões e especialidades se imiscuírem em assuntos que não dominam e, a partir daí, Influenciarem outras pessoas menos instruídas e preparadas a mentirem, omitirem, vilipendiarem igual aos seus “gurus”. É um momento triste e complicado. Lento e gradual.

Foto: Pensa, Leocadio !!! ( pensaleocadio.wordpress.com)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.