Saúde Alimentar

Saúde, alimentação e porcarias

Existe um dito mais ou menos popular sobre hábitos e preferências alimentares que diz assim: Tudo que é gostoso faz mal. E outro que diz, se não mata, engorda. Tem aquele dizendo que se uma pessoa conhecer uma fábrica de linguiça ou salsicha nunca mais come aqueles produtos, ou se uma pessoa ver a cozinha de um restaurante, desiste de comer ali.  Conheço fábricas de linguiça e entranhas de cozinhas de restaurante.

Na maioria dos casos, são desculpas que as próprias pessoas que sabem que alguma coisa vai prejudicar sua saúde mas entendem que este tipo de “desculpas” alivia o peso na consciência e atua como remédio para o possível mal que a alimentação pode provocar.

Com efeito, um diabético que come alguma coisa com açúcar, mesmo que seja o adocicado natural de algum alimento diz na hora que aquilo está delicioso, e come mais sem aquela culpa. Aquela carne gordurosa é deliciosa, mesmo para quem tem problemas.

A situação dos fast foods está chegando aos limites da saúde pública. Mas o poder da mídia e dos anúncios, aborda a questão só de passagem.

Quando os próprios trabalhadores de fast foods não comem determinadas coisas e chegam ao ponto de recomendarem que os amigos e parentes não peçam determinados produtos, é porque a coisa tá feia.

Duas dicas de ouro na alimentação:

  1. Evite restaurantes muito cheios e os muito vazios;
  2. Nunca peça para apressar seu pedido, somente pergunte quanto tempo leva.

A seguir, uma listinha de produtos de fast foods famosos, que podem ser extrapolados até para o carrinho de cachorro-quente da esquina, e que os próprios manipuladores destes alimentos recomendam que não sejam ingeridos por seres humanos normais e preocupados com a própria saúde.

  • Cachorro-quente de estádios
  • Pipoca de cinema
  • Tropeiro do Mineirão
  • Hamburgueres do tipo “tôsco”
  • McCafé do McDonalds
  • Nuggets do McDonalds
  • Frango grelhado, Hamburguer vegetariano ou qualquer coisa “crispy” do Burguer King
  • Frapuccino do Starbucks
  • Menu secreto do Starbucks
  • Vegetal empanado e almondegas do Subway
  • Pizza pan e breadstick tradicional do Pizza Hut
  • Donuts e assados do Dunkin´ Donuts
  • Sanduíche BBQ do KFC
  • Feijão e carne do Taco Bell

Creio que já experimentei de tudo isto e muito mais, aqueles sanduíches gregos e angu à baiana vendidos no meio da rua e coisas piores. Se as pessoas que trabalham com estes produtos NUNCA são vistas comendo o que produzem, fique atento. Pode não ser a melhor alimentação para você e a conta pode ser mais alta que o preço pago pelo alimento. E se os alguns exemplos são de fast food do exterior, esteja certo que o processo de manipulação e produção é IGUAL em qualquer parte do mundo, chegando a ser PIOR em países periféricos e com pouca fiscalização do poder público..

Imagem: Reprodução Internet

P.S. Este post era para ser publicado e divulgado ontem. Um pequeno erro no agendamento provocou a não-publicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.