Alegação Especial - Falácia

Falácias e Sofismas (9)

O termo falácia deriva do verbo latino fallere, que significa enganar. As falácias que são cometidas involuntariamente designam-se por paralogismos e as que são produzidas de forma a confundir alguém numa discussão designam-se por sofismas.

Falácia, no geral, é um argumento (na realidade é um não-argumento), logicamente inconsistente, sem fundamentação, que falha na capacidade de demonstrar o fato ou sustentar uma opinião, seja num discurso oral ou escrito. Não passa de uma mentira ou meia verdade, usada para convencer a “massa” de leitores, telespectadores, seguidores, compartilhadores e curtidores. No geral, engana-se pessoas alienadas e despreparadas para o uso de falácias, que até podem ser convincentes, mas não deixam de ser falsos por causa disso.

Alegação especial

Seres humanos são casuístas e agem por conveniência, desde a Idade da Pedra lascada, ou melhor, no sentido de Teoria Moral propalada para assuntos religiosos.

Nos tempos atuais, este tipo de falácia pode ser representada pela posição de pessoas que torcem e brigam pela opinião própria, arrumando desculpas e justificativas para seus erros e desvios diante de outras opiniões divergentes. Nas redes sociais estas falácias tem sido encobertas pelo “bloqueio” do contraditório.

Ateísmo

Esta falácia tem sido a salvação dos críticos do ateísmo. É o caso de uma linha tênue em que um “argumento” não serve para um lado nem para o outro. Ateístas buscam racionalidade usando alguma alegação especial e racionalidade, o que por si só, não se sustenta e é contraditório.

Auto-Justificação

A alegação especial é conhecida também como “ignorando a contraprova”, “avaliação e julgamento unilateral”, “empilhamento de baralho”. É uma falácia baseada na racionalidade mas que abre exceções ou premissas particulares, o que invalida o raciocínio.

O argumentador precisa de uma “muleta” ou alegação especial para mostrar que tem razão. Costuma colocar o condicional SE, como se aquele argumento fosse validar sua opinião. Imagina este argumentador que se uma alegação especial comprovável serve para ajudar seu argumento, qualquer alegação particular torna verdadeira todo um conjunto de afirmativas não comprováveis.

As pessoas sentem-se mais confortáveis com a auto-justificação e alegações especiais do que dando o braço a torcer e avaliando alegações alheias com uma dose de integridade e honestidade consigo mesmo.

 

Imagem: www.bookofbadarguments.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.