Baldim (MG)

Passeio bate e volta a partir de BH (25)

Inspirado em um artigo do site cultural sobre Minas Gerais, resolvi recomendar roteiros de passeio, atividade de um ou dois dias, de puro lazer e cultura, algo do tipo vai cedo, almoça e volta ao final do dia ou no dia seguinte comum pernoite.

Algumas cidades e localidades possuem um rico acervo natural, cultural e turístico, que podem ser visitadas mais de uma vez. Consistem numa ótima opção de passeio para os habitantes de Belo Horizonte, das cidades Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e excelentes opções de cartão de visitas quando formos anfitriões de alguém de fora de Minas Gerais.

O Governo Federal divide o Brasil em regiões e setores turísticos, Minas Gerais tem a maior diversidade e a área a que me propus escrever os posts abrange várias regiões e os denominados circuitos como “Estrada Real”, “Guimarães Rosa”, “Cachoeiras”, “Grutas” dentre mais de três dezenas no Estado.

A cidade contemplada hoje é Baldim, anteriormente denominado Pau Grande, no chamado Vetor Norte da RMBH,no caminho da Serra do Cipó e na região de grutas.

Este post serve como protesto pela exclusão de Baldim da categoria de município turístico do catálogo do Ministério, certamente para que não receba verbas federais que serão remanejadas. Foram muitos municípios excluídos e poucos incluídos. É impressionante o desrespeito à Cultura e História que está sendo promovido por este governo interino, enquanto criam-se cargos e reduzem investimentos sociais.

Um doce de cidade

A cidade tem se notabilizado pela produção de doces, com mais de 12 fábricas com produção industrial de diversas qualidades, além da produção de doces caseiros por diversos micro empreendimentos. Costuma-se dizer que o visitante sente o aroma da produção de doces quando passeia pelas portas das fábricas e no comércio. Os doces são feitos de matérias primas diferenciadas e apresentam opções para todos os paladares.

No meio de tudo

“A cidade fica próxima à Serra do Cipó, atração natural da região. O município apresenta um potencial turístico com inúmeras escavações rochosas, grutas e sumidouro, também possui sítios arqueológicos cadastrados no IPHAN, ruínas de casas subterrâneas e achados do período pré-colonial, remanescentes estruturas de lavras de ouro conserva fragmentos da passagem do desbravador, Manuel Borba Gato como escavações, aquedutos que serviam conduziam água nas escavações das Minas do Rio das Velhas, datada de 1711, aproximadamente.” (1)

Sua história tem páginas no Brasil-Colônia quando D.João determinou a expansão nas Minas Gerais e uma das mais importantes tecelagens do país instalou-se na região.

No meio de tantos circuitos (Grutas, Ouro, Serra do Cipó, Indústrias, Agricultura, Cachoeiras etc) e tanta história, a cidade encontrou espaço para ser incluída no Circuito Estrada Real. De maneira surpreendente, o Ministério do Turismo excluiu a cidade de seu roteiro neste ano de 2016.

Infraestrutura

Apresenta uma boa estrutura de apoio turístico, com hotéis e pousadas, restaurantes e um bom acesso rodoviário. Localiza-se aproximadamente a 60 km de Belo Horizonte, com acesso facilitado ao Aeroporto Internacional de Confins e toda região metropolitana da capital.

(1) Wikipedia

Reprodução: Internet

2 comments for “Passeio bate e volta a partir de BH (25)

  1. Marcia Figueiredo
    24/07/2016 at 00:09

    Excelente trabalho. Parabéns.

    • 24/07/2016 at 13:36

      Obrigado. Divulgue aquilo que gostar e critique aquilo que não gostar ou não concordar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.