Ricardo Prado - Natação

Decepção ou expectativa além do normal?

Eu não iria falar de esportes e performance olímpica no calor dos resultados. Mas não tem jeito. Alguns pontos não podem deixar de ter um contraponto ao chamado senso comum perpetrado pela grande mídia e seus portais na Internet.

Estou vendo muitas injustiças e que não podem ser dadas como verdade. Judô, basquete, atletismo, vôlei… ninguém escapa. Falam até em coisas do tipo “maior vexame nos últimos 50 anos” ou pior, comparam os 7 a 1 da Copa do Mundo com as 1000 medalhas estadunidenses com as duas dúzias de ouro brasileiro.

Natação

A natação brasileira sempre teve performance razoável. Desde o pequenino Ricardo Prado, que treinava nos EUA e com seu biotipo de jóquei conseguiu resultados significativos, o país evoluiu muito.

Muitos investimentos foram feitos por clubes tradicionais como Minas Tênis, Pinheiros e outros. Para esta olimpíada foram feitos investimentos vultuosos que devem ter superado os R$150 milhões, a maioria originada do tesouro federal.

Sinal de alerta

Em 2004, a olimpíada que ficamos sem medalha na natação, tratou de levantar a “justificativa” de que era a transição do ocaso de nadadores como Gustavo Borges e o surgimento de outros como Scherer.

A CBDA é das confederações brasileiras de desportes que mais recebeu verbas. Nem a ausência de medalhas em 2004 serviu de alerta. A escolha do Rio como sede dos jogos deveria ter servido de alerta.

Rio 2016

Alguns dirão que a não participação de Cielo seria o alerta para 2016. Outros falarão em crônica de uma morte anunciada. Eu diria que os problemas à beira das piscinas, desde os clubes, com os atletas mais promissores, era o verdadeiro alerta. A mídia e, principalmente, as redes sociais, estão conseguindo fazer um papel muito perverso com nossos atletas, e a natação não foge deste script canalha.

Os nossos nadadores foram até onde nenhuma equipe anterior de natação foi. Nossos nadadores estão ultrapassando ou chegando muito perto de recordes sul-americanos antigos e impossíveis de serem atingidos, mesmo com as modernas tecnologias colocadas à disposição deles.

Os candidatos às medalhas na natação fizeram seu papel, surpresas positivas aconteceram. Não tem nada que ficar com síndrome de vira-latas e comparar com medalhas de fenômenos como Phelps. Apoiem o esporte e verão uma geração de ganhadores. Primeiro na América Latina, depois no mundo.

Mais apoio e menos confederação e federações. Todo poder aos clubes formadores e que investem em esportes especializados.

Foto montagem: Esporte Essencial

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.