Higiene Zero

Calamidade pública

Existem algumas situações que deveriam ser pensadas muito, antes de se verbalizar algo que seja impróprio ou até mesmo criminoso.

Quando o Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, um pecuarista e industrializador de produtos do campo, anuncia que “o Estado brasileiro não pode contratar técnicos para fiscalizarem atividades ilícitas …” eu fico com muito medo.

Saúde Pública

Assunto que digam respeito à saúde pública não podem ser terceirizados, no caso do Ministro Maggi, nem isto ele quer. Entende o Ministro que as empresas são capazes de se auto-regular  e que o “mercado” irá fazer algum processo darwiniano de “seleção de produtos” que elevará a qualidade dos produtos e serviços, eliminará picaretas.

Algum tempo atrás, um picareta conhecido, procurou a Anvisa e órgãos afins para que se homologasse um equipamento de hemodiálise que não tinha mais funcionalidade nos EUA mas poderia ser usado no submundo onde hospitais são pouco exigentes.

No Brasil, a maioria absurda das empresas já se sentem bem soltinhas. Imaginem sem fiscalização.

Quando um Ministro de Estado imagina que, abrindo mão da fiscalização o “mercado” vai regular quem é bom ou ruim, é porque este Ministro de Estado está comprometido com tudo, MENOS com o bem estar da população.

Vai esperar morrer quantos para mudar de ideia?

Empresários inescrupulosos, que colocam soda cáustica em leite e não pagam nada à sociedade, ou quando são acionados na justiça contam com a cumplicidade e omissão do Poder Judiciário irão se aproveitar e lucrar sobre a baixa qualidade do que for oferecido à população interna.

Este Ministro deveria estar PRESO.

Charge: Lor

2 comments for “Calamidade pública

  1. Fernanda Ranieri Araujo
    10/09/2016 at 08:12

    Máquina de hemodiálise defeituosa já matou paciente aqui pelas Minas Gerais.
    Esse Senhor está caçoando.

    • 10/09/2016 at 23:51

      Fernanda, infelizmente, este senhor não está caçoando. Infelizmente, todos estes não estão caçoando. É compreensível e aceitável que uma pessoa na função de Ministro de Estado, sob pressão ou sob tiroteio de perguntas de jornalistas cometa deslizes ou gafes. Entretanto,este senhor está com o discurso preparado há muito.
      Eu prefiro acreditar na estória do bode malcheiroso na sala… Coloca o bode para causar rebuliço e depois aceita-se qualquer coisa. O discurso do cara é este mesmo… reclamem na justiça depois… na “nossa” justiça. Eu não ficaria tão tranquilo achando que é algum tipo de “balão de ensaio”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.