Desrespeito no Independência

Acessibilidade, cidadania e respeito

Às vezes ficamos tristes aos constatarmos que estamos certos. Sou defensor de sempre de dar o benefício da dúvida em prol daqueles que acreditamos serem capazes de compreender como a gente compreende certas situações.

Acessibilidade

Quatro anos atrás sofri um acidente e fiquei (na realidade ainda estou) dependente de muitas pessoas e situações de acessibilidade para várias coisas. É sofrido ouvir as respostas “Calma!” ou ter que ficar calado sem poder dizer para as pessoas que se colocam à disposição para ajudar que devem fazer diferente.

É comum as pessoas serem solícitas e não estarem preparadas para conduzir um deficiente visual, conversar com um portador de necessidades especiais e ajudar quem precisa. Sem contar aqueles que não conseguem enxergar nenhuma necessidade nos outros. Tudo tem sido um excelente aprendizado.

Respeito e Cidadania

Quando digo que a nossa sociedade, especialmente as gerações que estão pedindo passagem e querem a janelinha antes dos outros, está corroída e moribunda, muitos não gostam.

Sou aficionado por futebol. Torço para o Cruzeiro e não perco um jogo, estando em BH. Posso relacionar todos os jogos que não fui nos últimos 20 anos.

Defendi a reconstrução do Mineirão e fiquei distante da questão do Independência. Esperava que a reforma de ambos os estádios pudessem dar mais qualidade para o torcedor. #SQN!

Infelizmente, está muito pior do que eu imaginava.

Estádio Independência

Acreditei que a reforma do Independência não pudesse ser contaminada pela tunga e processo eivado de vícios que foi a reforma e a cessão a dois times da capital.

Errei feio. A empresa que administra o estádio fez várias intervenções e torna a vida do torcedor, seja ele do time mandante ou visitante, um martírio.

Em jogo recente, perdi, definitivamente, a paciência. É tanta coisa errada, é tanto desrespeito, é tanta conivência, é tanto autoritarismo, é tanta ignorância e estupidez de seres que deveriam ser humanos que começamos a cogitar o afastamento dos estádios.

Não me afastarei pois não vou dar este prazer a pulhas e déspotas esclarecidos.Não darei este prazer a outros torcedores que vão ao estádio para desrespeitar outros torcedores. Se os pais destes pivetes mal educados que pagam caro para desrespeitar outros torcedores não serei eu que cederei. Não me afastarei pois não admito a hipótese de ter que ouvir um jogo através desta mídia podre e conivente.

Arrependo-me do momento que incentivei apelidar o Independência de Magelão, numa alusão de humor negro ao artista Geraldo Magela, o ceguinho, somente porque um estádio de futebol abriga 80% de suas posições para torcedores quem não vêem o jogo. Tive muita paciência e não apoiei reclamações fundamentadas desde 2012. Reconheço que errei feio.

Classifico como bandidos e achacadores do erário  aqueles que projetaram e administram o Independência, inclusive os prestadores de serviço, do pipoqueiro ou ambulante clandestino ao agente de trânsito da BHTrans que fica de bate-papo com o Policial Militar e nada fazem para ajudar quem precisa. E sem esquecer da mídia conivente (alguns inclusive são tratados como mídia de quinta categoria e se calam). Vocês são LIXO!

O estádio é um LIXO!

A localização é um LIXO!

O atendimento e serviços são um LIXO!

Os preços são abusivos!

Não existe respeito nenhum.

Mas, como poucos são os torcedores que resolvem reclamar, e como neste ambiente de futebol não é normal parir gente honesta e com espírito de cidadania e respeito, creio que minha indignação ficará restrita a este espaço.

 

Imagem: Blog do Chico Maia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.