Sorria, Manipulado

Manipulação de massas (11)

A partir de algumas teorias de manipulação e nas conclusões de Chomsky onde ele disse que “… num estado totalitário, se o governo não controla as pessoas pela força, controla o que as pessoas pensam …”, vejo manipulação em quase tudo. Alguns me chamam de “Ubaldo” (personagem do Henfil), outros respondem ao que escrevo como “teorias conspiracionistas”. Há muito tempo tem sido assim. Parece com a história do soldado marchando no “passo errado”. Experimentei doses cruéis deste policiamento com a história da urna eletrônica e sua pseudo segurança. Tenho a convicção (no meu caso tenho evidências e provas suficientes) de que muito manipulado foi avestruz em outra encarnação.

Percebo que grupos e indivíduos não são controlados à força, são controlados por ausência de ideias e questionamentos ou cerceamento das ideias ao grande público que tem acesso somente à mídia de massa. Seja na politica, religião, economia,futebol, cultura e qualquer outra editoria, nossa sociedade sofre com a manipulação premeditada de massas. Tenho a forte convicção de que muitas pessoas entendem isto como desígnio superior.

Manifeste-se nos autos

O Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, que já passou à história por conduzir o que será conhecido como os dois maiores processos judiciais da história deste país (que teve condenados!) junto ao STF e os ministros daquela instância judicial. Em outros processos que poderiam ser maiores pelos volumes de dinheiro, número de envolvidos, ações danosas ao país, não saíram das gavetas do Procurador Geral. Menos mal que, outrora, este cargo era ocupado por “engavetador geral”.

Roberto Gurgel disse, alguns meses atrás, que ficou “perplexo” quando o juiz federal Sérgio Moro, patrocinador maior do chamado “Petrolão”, cometeu um “erro grave”, muito mais do que indiscrição, ao divulgar fatos ou suspeitas para a mídia sem que os requisitos legais estejam contemplados.

Noutra ocasião, perguntado sobre a posição do Ministro Gilmar Mendes em dar sua opinião sobre processos que ainda não alcançaram o STF, Gurgel disse: “… acho que o ideal é que os juízes, seja quem forem, falem o mínimo possível fora dos autos. Eu diria que é uma recomendação da prudência que se exige dos integrantes do Judiciário. Não tenho dúvida de que ultimamente muitos juízes, sejam de primeiro grau ou de tribunais, têm falado muito fora dos tribunais. É algo que não deveria acontecer. Quanto menos um juiz falar, melhor. O local de juiz falar é nos autos do processo …”

Indiciamento

Entendo que o momento para qualquer juiz ou polícia judiciária fazer acusações é nos autos. Aí alguém acata e indicia. Abrem-se as oportunidades de defesas. Pelo menos é o que determina a constituição, presumivelmente democrática.

Quando esta instrução é calcada em delação, e que no caso o delator foi pego e negocia diminuição de pena por conta do que está delatando, deveria haver um cuidado maior com quem está sendo delatado.

Manipulação

O que estamos vendo no Brasil é uma manipulação de massas, a partir de delações que estão levando ao julgamento prévio de pessoas que, se cometeram crimes, estes crimes precisam restar provados. A condenação está sendo patrocinada pela divulgação midiática de achismos e opiniões, juízes e procuradores emitindo opinião na mídia e estas declarações sendo distorcidas e manipuladas para atender a interesses individuais e escusos.

Goebbels e muitos outros tinham a perfeita noção do que a mídia pode fazer. Tenho percebido que falácias e sofismas viraram muleta de muito procurador e juiz.

Assusta quando vejo cidadãs(ãos) (se bem que alguns cidadãs(ãos) com acesso às redes sociais não tem qualificação enquanto cidadãs(ãos)!) dizendo, de forma parcial e conveniente, que a juízes, Ministério Público, STF não fazem instrução errada, não iriam indiciar equivocadamente.

Ora… Ora… Ora… taí o que você pediu (diriam os narradores esportivos).

Só fico pensando se algum parente próximo destas pessoas, que confiam nos indiciamentos que livram médicos estupradores, banqueiros fraudulentos, governantes laranjas, fossem indiciados e não houvesse dinheiro para pagar um bom advogado criminal.

Nosso judiciário, NO GERAL, não é confiável, e agora parece que entrou para o séquito de manipuladores de massa, com a obsequiosa ajuda da mídia.

Imagem: Reprodução Jornal GGN

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.