Pseudo Democracia

As eleições perdidas

Não se fazem omeletes sem quebrar ovos, muitos. Para quem gosta de ovos e omeletes, esta frase não tem a mínima importância, e faz o maior sentido.

Fazendo uma analogia (já falei que não gosto de analogias?), não se faz uma democracia sem revolução na cabeça das pessoas.

Conjuntura

Como nossas eleições são de dois em dois anos, e ao constatarmos que a realizada em 2014 não foi bem aceita pelos derrotados, tanto que iniciaram o terceiro turno que terminou algumas semanas atrás, com o golpe, travestido de impeachment, na presidenta eleita e com a manutenção dos eleitos para o legislativo, chegamos à conclusão que teremos novas eleições sob a égide de nuvens cinzentas.

Poder Legislativo

Tenho pra mim, aliás já discuti o tema com vários políticos eleitos para cargos no Executivo e Legislativo, que a eleição mais democrática e mais importante é a do Poder Legislativo, em todas as esferas. E que o Legislativo “dominado” por “altos cleros” e lobistas é nefasto para a democracia e sociedade. Nenhum político fala sobre o assunto.

Eleições

Neste quadro, vamos para as eleições municipais onde o que ouço a todo o momento é “não tem nenhum candidato”, “ninguém presta” e coisas do gênero.

Para piorar, os próprios candidatos misturam tudo e nada apresentam de racional. Entram em assuntos de futebol, religião, policial, jurídico e esquecem-se de avaliar propostas dos candidatos ao Executivo e, principalmente, ao Legislativo;

Vejo os candidatos majoritários em debates estéreis, inúteis e até imbecis. Perguntas e respostas feitas em programas de debate coletivos são um terror.

Já os candidatos proporcionais são muito piores, quando deveriam ser muito melhores. O tempo de apresentação de cada “Bin Laden da Ambulância” ou “Xerife do Sacolão” é pequeno, reconheço, mas se dessem mais tempo para este povo teríamos a certeza de que a cagada pode ser sempre maior.

Fico pensando se todo este processo nacional de manifestações, revoltas, golpes, bateção de panela, tuitaços, passeatas e afins, serviu para alguma coisa em relação à democracia. Desconfio que não.Cada candidato mais histriônico que o outro, posando de mais inocente e honesto do mundo, dizendo que caga e anda para a política mas se omitindo para absurdos como candidato com mandato de prisão poder fazer campanha normalmente.

Tenho candidato escolhido para as funções de Prefeito e Vereador. Creio que se meu candidato não for ao segundo turno, nenhum terá as mesmas condições que o meu tem para governar.

Tenho candidata a vereadora, poucos tem a capacidade dela em ajudar a cidade.

O cidadão comum que bate no peito para dizer que caga e anda ou que vota nulo, não sabe a estupidez que comete. Sempre haverá um eleito. Candidatos mal intencionados adoram anuladores de votos, analfabetos políticos, isentões e cagões.

Na realidade, estou desistindo de ver uma geração que saiba o que é, e como se usa dos direitos e deveres de uma democracia. Nunca fomos uma democracia, tenho dúvidas se estarei vivo para ver o Brasil no gozo dos benefícios de uma democracia.

Imagem: Reprodução Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.