Você Fiscal

Sistemas Eleitorais Obscurantistas (2)

Alguns meses atrás, mais precisamente em 21 de abril publiquei um post aqui no blog que reproduzia um artigo que produzi para o Estado de Minas 15 anos atrás.

Após estas eleições municipais, tenho travado alguns debates estéreis com algumas pessoas que se acham habilitadas para discutir a segurança das máquinas de votar e do sistema eletrônico eleitoral brasileiro. Pior que alguns idiotas ainda acham que este sistema é infalível e que sistemas eleitorais, como dos EUA,deveriam se inspirar no nosso. Tenho comiseração deste povo.

Perguntas

Em 2001 fiz algumas perguntas, de forma retórica é claro, pois naquela época eu já sabia do assunto. (Quem tiver curiosidade do histórico real deste assunto deve esmiuçar o site do Voto Seguro).

As perguntas:

  • Quais as garantias técnicas de que a urna é confiável?;
  • Qual o benefício social de uma tecnologia que não assegura transparência e democracia do voto?;
  • A quem interessa a rapidez na divulgação de resultados que não possibilitam auditoria e não preveem a hipótese de recontagem dos votos?

Respostas

Entendam como bem quiserem. Votaram desde 1996 confiando em propaganda do TSE, não tenho responsabilidade alguma. Tentei avisar. Entretanto, não é motivo para falar que ninguém “ganhou roubado” ou que seu candidato foi derrotado por voto fraudado.

Se você eleitor não se torna fiscal do próprio voto e não busca GARANTIR que o seu desejo tenha sido concretizado, não serei eu a brigar pela lisura e ausência de fraudes. Muitos menos por auditorias que garantiriam a verificação da votação e o sigilo do voto (direito constitucional).

Você sabia?

Neste sentido, alguns itens que, se você sabia e não fez nada, é porque você é mais um a abrir mão de seus direitos, logo…não reclame! Se não sabia, corra atrás,alguém pode estar roubando seu voto.

  1. O Brasil é o único país do mundo que tem votação eletrônica sem registro material dos votos. Se algum problema ocorrer com a máquina será impossível a recontagem dos votos, será impossível auditar uma máquina. Se algum juiz, mesmo o ministro do STF que preside e o TSE dizer a palavra RECONTAGEM, pode gritar: MENTIROSO!
  2. O Tribunal Superior Eleitoral (e suas filiais nos estados) é a autoridade eleitoral no país. Invoca para si os três poderes (eles legislam, eles executam e eles julgam) tudo sobre eleições, numa afronta constitucional sobre o equilíbrio e separação de poderes constitucionais..Se alguém questionar, quem julga é o STF, que empresta os ministros para o TSE. O TSE e TRE´s não prestam contas a ninguém.
  3. Em 2012 eu estava em Brasília, no auditório do TSE, quando o professor Diego Aranha, iniciou os testes para tentar quebrar a segurança da máquina de votar. Mesmo sob condições limitadas e falaciosas do TSE, o professor e sua equipe ed colaboradores quebraram a segurança e mostraram ser possível saber quem votou em quem, o que viola o preceito constitucional do sigilo do voto.Depois do vexame de 2012, o TSE suspendeu os testes de 2014 e socou goela abaixo propaganda enganosa nos incautos. Desde 2014 o professor Diego Aranha apoia (eu também apoio) o Projeto Você Fiscal.

Infelizmente a mídia não faz perguntas corretas sobre este processo. Qualquer órgão da mídia tradicional ou portais dos jornalões e donatários da Internet, que fizerem perguntas corretas, não receberá as polpudas verbas publicitárias de propagandas enganosas emanadas do TSE.

Eu poderia relacionar umas duas dúzias de coisas que você não sabe, vou guardar para outros posts. Por hora é o suficiente para qualquer pessoa normal “acordar”. No lugar de ficar pregando voto nulo e achando que é algum tipo de epistemólogo formulador de opinião, desça do altar de sua ignorância e vá aprender alguma coisa. Depois de parar de falar em voto nulo ou útil, defenda seu voto e defenda o voto em quem você acredita que valha a pena sufragar.

Se você não for votar, algum mesário pode votar no seu lugar. Acredite !

Imagem: Logomarca Você FIscal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.