Pedido de Professor

Rebeldes sem causa

Algum tempo atrás, surgiu um Movimento que se dizia apartidário e independente: Movimento Brasil Livre (MBL). Claro que não era apartidário e muito menos independente.

No bojo do processo de impeachment, este movimento chegou a simular uma caminhada de São Paulo a Brasília, de um de seus líderes, que chegando lá foi recebido por Eduardo Cunha, e desfraldou a bandeira do “Somos todos Cunha”.

Nas eleições de 2016, fizeram vereadores em várias cidades do país, dizem que até prefeitos foram eleitos com base no MBL.

Educação

No Paraná, as manifestações relacionadas ao setor da educação tem sido mais intensas e o confronto mais claro. Antes era o governador contra os professores. Não apareceu ninguém destes movimentos de “libertação” do Brasil para defender os professores. Defenderam o governador e a polícia. A mídia calada.

Neste momento, estudantes no Paraná iniciaram movimento de ocupação de escolas, contra a PEC 241. É natural que nem todos estudantes, e os seus pais, queiram participar. É compreensível que alguns estudantes e alguns pais sejam contra o movimento e a favor da PEC 241. Nem discuto o que motiva cada um. A mídia toma partido.

Mas é incompreensível que o tal MBL organize-se em forma de milícia, sob proteção do estado policialesco, contando com a parcialidade da mídia, e parta para a ocupação das escolas a pretexto de ajuda pais e estudantes que querem a volta das aulas. A mídia parcial, como sempre,em nenhum momento ajudar a educação. Escola pública não faz anúncios e publicidade na TV.

Vai dar merda

O governador que manda bater em professores acha que o movimento é “natural”. Desde que o MBL esteja cumprindo aquilo que é do interesse de seu governo.

A sociedade brasileira ainda não está preparada nem para manifestações de opinião coletivas que sejam contrárias aos interesses particulares de cada cidadão. Todos querendo o “farinha pouca, meu pirão primeiro”.

Parafraseando o Cap. Nascimento: “VAI DAR MERDA !!!”

Imagem: Montagem do Blog.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.