Fraude no ENEM

Os pais que apoiam fraudes educacionais

Encerrado o maior exame de alunos do mundo, o ENEM,  muitos números surgem, muitas denúncias, muitos procuradores ridículos querendo aparecer (tem um no Ceará que não se manca), e uma infinidade de querelas que faz parecer o exame algo sem planejamento.

A maioria dos que criticam o ENEM tem interesses, altamente pessoais, como prioridade.

Fraude individual

A ideia do exame é simples e poderia ser chamado de “o maior vestibular da face da Terra” (chineses não são desta Terra !).

Nesta edição uma fraude foi detectada.Estava associada a outras fraudes em outros exames. A tecnologia utilizada era a mesma. Identificaram fraudadores e corruptores, alguns presos por pouco tempo, outros longe das grades. Especula-se que interessados em passar sem estudar pagavam entre R$30mil a R$180 mil por exame aprovado.

Fico pensando no tipo de profissional que paga mais de R$100 mil para ser aprovado num exame que,  se cursasse alguma boa escola, pagaria menos da metade. Tem alguma coisa de irracional ou é simplesmente burrice aguda de quem tem muito dinheiro?

Fraude coletiva

A ideia do exame é simples, e pode ensejar ideias complexas de fraude. Um dos itens mais comemorados no exame do ENEM é a classificação de algumas escolas. E, via de regra,  as mesmas tem se mantido no “topo”, seja nacionalmente ou regionalmente.

Basta alguma pesquisa (pouca !) para descobrir que existe um mecanismo de fraude, apoiada, incentivada e desejada por muitos pais de terem seus filhos nas “melhores” escolas do país. Uma meia-verdade e meia-mentira. Algumas destas escolas fraudam a disposição de suas turmas em “unidades” independentes de forma que a unidade do bairro  na zona sul, com somente 40 alunos, concorra em pé de igualdade com unidades em que mais de 1000 inscritos farão a mesma prova. Qualquer aluno da “franquia”, que utilizam métodos de ensino e professores treinados pelo mesmo adestrador estará sendo submetido aos mesmos critérios e sem os mesmos fundamentos e grupo.

Desta forma, um grupo comercial de venda de educação, ganha propaganda gratuita para todas as suas unidades bastando para isto dar qualidade e as melhores condições para um grupo pequeno de representantes dos demais.

Será que os pais que colocam seus filhos em unidades menos privilegiadas sabem o que estão fazendo com seus filhos e seu dinheiro? Pais que apoiam este tipo de fraude podem ser responsabilizados?

É uma situação complicada demais. Alguns chamam isto de inventividade, outros de truque. Pode ser o nome que quiserem, pra mim não passa de fraude para iludir a tudo e a todos.

Imagem: Égua

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.