Impontualidade e Descompromisso

Compromisso e pontualidade

Compromisso e pontualidade são o espelho e a cara das pessoas que agem corretamente com as outras, assim como desejam que as outras tratem-nas.

Por outro lado, impontualidade e falta de compromisso definem até tragédias e pequenas rusgas. Uma empresa com 10 funcionários não vai falir se, a cada dia, um deles, não simultaneamente, chegar trinta minutos atrasado. Entretanto, se não houver acordo e todos resolverem chegarem atrasados, juntos, todos os dias, o funcionamento da empresa deixa a normalidade.

Impontualidade

Aulas, casamentos, encontros, eventos sociais, no Brasil, a impontualidade virou marca registrada de pessoas que não respeitam as outras. Alguns acham que, em alguns casos, é charme. É comum ouvir comentários sobre a pontualidade britânica. Ser pontual chega a causar constrangimentos pois o “normal” é ser impontual.

Defendo a ideia de que ser pontual, responder e assumir as agendas, é respeitar àqueles que propõem a agenda com datas e horários.

Nas corporações, com a Infinidade de micro-compromissos do dia-a-dia, passa a ser regra postergar e descumprir e nem responder a compromissos formais. As justificativas vão desde um simples “esqueci”até alguma coisa mirabolante que não justifica a impontualidade e falta de respeito.

A constância destas impontualidades, numa corporação, gera atrasos e perdas injustificáveis. As redes sociais e ferramentas de TI que deveriam ajudar a agilização e respeito aos compromissos e pontualidade tem sido relegadas.

Descompromisso

Analogamente à impontualidade, o descompromisso com atividades profissionais que não agradam a este ou aquele profissional, são altamente lesivas às organizações.

De uma forma geral, as pessoas não estão preocupadas nem em esconder a falta de compromisso com atividades das outras. Uma leitura de e-mail, uma atividade extra-organizacional, um evento acessório ou até mesmo particular, estão se sobrepondo de maneira perigosa a eventos importantes para as organizações.

Inconsistência

Pessoal de grandes organizações, públicas ou privadas, pautam-se mais pela aparência e comportamentos e relacionamentos pessoais do que na perspectiva de impulsionar carreiras e atividades profissionais através da credibilidade, comprometimento e respeito.

Para se adquirir consistência, confiança e credibilidade, que não são adquiridos em prateleiras de livrarias ou cursos de certificação profissional e muito menos pelo tempo de experiência ou atividade profissional, é necessário respeito, comprometimento e observação a regras de pontualidade. Parece que estes conceitos não estão mais sendo difundidos nos bancos das escolas formais e perderam-se na burocracia das organizações viciadas e carcomidas, o que é lamentável.

Charge: Dilbert.Com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.