Urna Biométrica

Voto não-obrigatório. Solução ?

Ano eleitoral é complicado. Aparecem teorias de tudo quanto é lado.

Ano eleitoral com processo de impeachment da presidenta Dilma é pior ainda.

Denomino Temer como golpista e, é claro e compreensível, que aqueles que apoiaram o golpe, não falam que foi golpe. A história de 2016 não vai terminar tão cedo. Aliás esta história (dizia o filósofo que história que se repete é farsa…) começou com o terceiro turno nas eleições presidenciais de 2014.

Voto Facultativo

Tudo por causa do voto. Aí aparecem aquelas mulas-sem-cabeça para dizer que a solução é termos o voto facultativo. Nem conseguem dominar o processo eleitoral e querem arrumar um bode expiatório para a coisa mal feita. Não conseguem mudar o tipo do voto e o que fazem? Ficam pregando voto nulo, como aconteceu em 2016.

O elevado número de abstenções, nulos e brancos, verificados em 2016, não tem nada a ver com voto nulo pregado por patetas adestrados pelo sistema. Bandidos serão eleitos com muito mais facilidade com voto facultativo.

Estejam certos. Esta de voto facultativo para acabar com os problemas estruturais e seculares da política brasileira é uma, senão a maior, das maiores falácias da política nacional. Se até com a máquina de votar com identificação biométrica votam por você, imaginem se for facultativo.

Golpe

Aí o golpista de plantão faz discurso dizendo que a elevada proporção de votos brancos, nulos e abstenções nas eleições municipais de 2016 é importante para abrir discussão de reforma política que inclua a obrigação de votar. Entende o golpisto, e sua tchurma, que campanhas educativas (segundo ele uma “pregação da cidadania” sobre a importância de eleger bons representantes na política é a base das mudanças.

O que mais me impressiona é a incapacidade pensante da maioria, ou a desfaçatez da mídia para com a população que vota. É triste ver eleitores que poderiam mudar e decidir rumos de suas cidades, iniciando um processo de reforma até a União, renderem-se a argumentos do tipo: “ninguém presta, voto porque é obrigatório”.

Em uma determinada cidade do interior ouvi de uma cidadã humilde e com pouca formação educacional: “… tiramos este que aí está e tiraremos o que elegemos se ele não trabalhar para a maioria …”. Ao mesmo tempo, na mesma cidade, um pequeno empresário local disse sobre a derrota do candidato à reeleição: “… é bom ele deixar a prefeitura pois este povo não merece a administração dele, tomara que deixe a prefeitura com os cofres vazios …”. Parece que alguns grupos de eleitores não querem o melhor para a cidade, querem estar certos e o melhor para si.

Parlamentarismo

Algum tempo atrás (a maioria dos internautas e frequentadores de redes sociais nem sabe disso), houve plebiscito no Brasil para definir sistema de governo. Venceu o Presidencialismo. Agora ouve-se pessoas ligadas ao golpisto (e até o próprio) falando em Parlamentarismo. Vou falar uma coisa… 2016 não vai acabar… ainda vamos ver alguns golpes institucionais. Vão querer que estes senadores e deputados formem governo de coalização e elejam o primeiro-ministro?

Será que poderemos votar em 2018?

P.S. E nem estou falando do retrocesso de alternativas estúpidas!

Reprodução: Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.