Música Ruim

A decadência da música brasileira

Gosto muito de música. Todos os gêneros. Alguns dizem que tenho gosto eclético. Outros, puristas, dizem que não sei o que é música. Pra falar a verdade, tentei me aproximar da música ainda adolescente. Depois de anos de tentativas, abandonei a ideia de ser músico ou entender melhor o mecanismo de construção e desconstrução da música.

Como admirador de todas as músicas, de todos os gêneros (claro que prefiro uns aos outros, mas não condeno nenhum – há limites!)  e advogando da teoria de que música é a única linguagem universal e amplamente democrática, condeno aqueles que julgam os outros por não gostarem do gênero X ou Y.

The Voices

Sou fã de programas que incentivam novos talentos, principalmente de música. Assisto aos nacionais e aos do estrangeiro. É impressionante como uma pessoa que, fisicamente ou aparentemente, não nos traz lembranças ou associação a coisas boas, ao soltar a voz, emudece a todos. Preconceitos e barreiras são jogados no lixo ao se ouvir boa música.

Música brasileira

Ao ver os programas de talentos produzidos no Brasil (tipo X Factor, The Voice Brasil, Voice Kids e outros de calouros como do Raul Gil), se por um lado vejo com alegria que algum tipo de chance, mesmo que falaciosamente, é dada a estas pessoas, constato que a música brasileira acabou.

Gosto de música brasileira, gosto de samba e outros ritmos, mas ver o que estão fazendo nestes shows de horrores musicais, com “jurados” de qualidade pra lá de duvidosa, com apresentações e uso até de crianças, sem que se respeite a verdadeira música brasileira, sem que seja exigido dos candidatos que cantem ritmos tupiniquins, mas que avaliem interpretes cantando música em inglês sem que saibam o significado das palavras que cantam, é deprimente.

Fim de linha

Pior que não vejo saída. Colocam um apresentador fantoche que respeita pouco a música brasileira, colocam músicos que mal sabem tocar um instrumento. A playlist dos programas fala de coisas como sertanejo universitário, sofrência, arrocha, pancadão. Letras (se é que pode-se denominar como letras) de música que são lixo, que não conseguem ter uma palavra corretamente escrita, que fazem de tudo para ser politicamente incorretas.

Há muito qualidade perdeu espaço para quantidade e comercialização, de maneira perigosa e irreversível. Grandes personagens da música brasileira não fazem um show por mês com cachê em menos de 10% de interpretes da moda que chegam a ganhar mais de meio milhão de reais por um show mequetrefe e imbecil.

É o fim da linha para a música brasileira.

Charge: DUKE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.