Redes Sociais Perigosas

2017, o início dos “anos Precariat”

Sobre as mudanças ocorridas após os anos 80, coincidentemente ou não, após a criação e lançamento do chamado computador pessoal, o Personnel Computer (PC), aquele que veio para mudar o mundo e trazer-nos a tal liberdade na sociedade e colocar o ser humano como partícipe da revolução informacional que, o sociólogo Zygmunt Bauman, 91 anos, Indica que passamos a ter uma classe social denominada Precariat.

Precariat designa aquele proletariado e a antiga classe média que passaram a viver numa precariedade e ansiedade pelo futuro. Não sabem se terão emprego amanhã, não sabem se as suas pequenas empresas (empreendimentos, startups e assemelhados tem a mesma equivalência). O conflito deixou de ser entre classes sociais (embora os donos do capital sempre estejam do Outro lado de qualquer coisa que se torne uma ameaça a eles), o conflito agora é do indivíduo com a sociedade em que ele vive, ou pensa que vive. Liberdade e Segurança são os pontos principais do conflito. Comunidade e cooperação são conceitos decadentes e sem sentido para os Precariat.

Movimentos políticos

Na linha da fusão que resultou nos Precariat, nossa sociedade perdeu a razão enquanto coletivo. É muito comum vermos ativistas cheios de razão, com bandeiras de luta razoáveis e apoiadas por muitos, mas pregando no deserto. Estes ativistas querem que tudo aconteça do jeito deles, não sabem nem conduzir o movimento para além do movimento. Cheio de líderes com propostas boas mas que não conseguem sair da ideia para a ação prática. Nesta linha, qualquer paladino ou messias que faz alguma coisa, vira Sassá Mutema, vira salvador da pátria, e aí vale a premissa maquiavélica de que os fins justificam os meios. A liberdade é tolhida e a segurança vilipendiada.

Ópio do povo

O que era para se transformar num novo, moderno, abrangente, democrático, ou seja, tudo de bom, para a democracia e evolução da sociedade, está se transformando numa nova forma de ópio do povo. A Internet oferece entretenimento barato e descompromissado, arrebanha hordas de neófitos e ativistas de sofá ou teclado.

O debate foi vilipendiado, ao se deparar com a mínima dificuldade ou oposição, é mais fácil descurtir, bloquear, denunciar. Sempre foi mais fácil levantar acusações e destruir as pessoas e ideias do que construir e elevar o debate. As redes sociais estão a serviço do “quanto mais fácil, melhor”.

Feliz 2017?

Assim, neste início de ano, prevejo que não será tão fácil ignorar ou esquecer os anos anteriores. Sendo apenas crítico, acredito que pode piorar, depende de nós e “nós” não queremos melhoras. Quando posto alguma coisa sincera no mês de dezembro, sempre aparece alguém para dizer que sou negativista. Talvez seja efeito do ópio em quem lê. Um 2017 de sucesso, amor e paz para todos.

P. S. Aí leio que um tupiniquim cometeu uma chacina na passagem de ano no Brasil. Será verdade?

Charge: ButterSafe

 

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator), só assim ele, e muitos outros, conseguirão prosseguir com o tratamento e ter esperança numa melhoria e retomada da normalidade.

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Banco de Sangue – Hemoter

O Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.