Abundância Prejudicial

Questão de prioridade e educação

Desde que me entendo por gente, em época de eleição, lá vem os candidatos pedindo voto e falando sobre a “prioridade” da educação. Não acredite em quem diz isto e não pratica. Saiba identificar quem é responsável pela educação em cada nível. O município pode muito ou quase tudo na educação inicial, o estado pode muito Ou quase tudo no ensino médio e a união pode muito ou tudo e normatiza tudo, desde a distribuição de verbas e regras gerais para todos os níveis e no caso do ensino superior, é o principal coordenador e gestor.

Dizem que não faltam recursos financeiros. Tenho a tendência de acreditar. A cada nível hierárquico que desce, o dinheiro é mais mal utilizado.

Entretanto, nem os pais que reclamam por educação de qualidade, são honestos quando podem fazer alguma coisa. Como no ditado, “… farinha pouca, meu pirão primeiro …”, o brasileiro mediano quer saber de como deve ser a educação que ele julga ideal e a educação de seu filho seja melhor do que a do filho do vizinho. Individualismo puro. Hipocrisia máxima.

Existem várias teorias. Aposto em algumas. Uma que entendo ser muito importante vai na linha do “existem recursos, são mal aplicados”.

Recursos naturais

Alguns teóricos falam da “maldição dos recursos abundantes”. Países cuja base da economia é algum recurso natural abundantes (países da OPEP) ou outros recursos naturais provocam certa tranquilidade e conforto (energia hidroelétrica, como o Brasil) a tendência é de que seus habitantes tenham performances ruins na educação.

Por outro lado, países com poucos recursos naturais impõe aos seus habitantes a necessidade do aprendizado para a sobrevivência e avanço.

Estive na Coreia do Sul alguns anos atrás, preparei a viagem e conheci um pouco da cultura daquele país, principalmente para não cometer gafes quanto aos costumes. Voltei de lá com um caldo de cultura e história inimaginável.

Durante a Guerra da Coréia eles (Sul) ficaram reduzidos a nenhuma fonte de energia. Todas as árvores foram cortadas e foi necessário até estabelecer penas de morte para quem cortasse uma árvore. Ao fazer uma refeição num restaurante frequentado por turistas, a água servida à mesa era da torneira. A entrada da refeição era uma sopa, feita a partir de resto de arroz queimado e grudado na panela.

A Coreia do Sul, sem energia e sem água, tinha altíssimos níveis de analfabetismo e um reparador de rádios pegou aparelhos transistorizados para copiar e fazer para seu país.

Passados sessenta anos, compramos TVs e outros eletro-eletrônicos de uma gigantesca multinacional daquele país.

De certa forma, a anedota sobre as belezas e recursos naturais do Brasil, deveria ser levada um pouco mais a sério. A culpa pode não ser, EXCLUSIVAMENTE, dos nossos políticos.

Charge: EdCarlos

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator), só assim ele, e muitos outros, conseguirão prosseguir com o tratamento e ter esperança numa melhoria e retomada da normalidade.

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Banco de Sangue – Hemoter

O Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.