Óbvio Ululante

Quando o óbvio está errado (*)

Os números governam o mundo, dizia Malba Tahan…

Na revista da Mônica, ela estava, em determinado episódio, escrevendo um livro cujo título era “O óbvio ululante que pulula nas mentes humanas“.

Carl Jung não tratava do tema como obviedade, mas se preocupava como estas coisas se misturam, e dizia que “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana seja apenas outra alma humana“.

Mark Twain, escritor estadunidense tem frases que ficaram famosas pelo seu significado e por mostrar apenas em uma frase, entendimentos que destroem um conjunto de concepções equivocadas. Aqui, no caso, a frase a ser reproduzida é “Existem três tipos de mentiras: as mentiras, as mentiras deslavadas e as estatísticas“. (P.S. Em leituras recentes que fiz, descobri que esta frase teria sido proferida por um escritor inglês, muito antes de Twain).

O dramaturgo Nélson Rodrigues apropriou-se do latim ululatus, que significa uivo, ou som emitido pelos cães, um ganido prolongado para ameaçar alguém ou chamar a atenção, e é usado quando animais berram ou gritam de forma aflita. Nélson publicou o livro (Óbvio Ululante) associando o termo ululante à palavra óbvio no sentido de reforçar a expressão e mostrar que óbvio é uma coisa complicada e uma tentativa de alguém provar que a sua opinião é óbvia somente porque ele acha assim.

Números e estatísticas são coisas diferentes mas a falta de leitura, a precariedade no conhecimento das teorias e a pretensa hipótese de que se domina as técnicas, leva a maioria das pessoas, em tempos de redes sociais e conversas descompromissadas até com a verdade íntima, a vilipendiarem a palavra óbvio.

Não existe nada óbvio,  teorias e teses demoram a mudar e exigem pesquisa e tempo. técnicas e práticas devem mudar a cada novo conhecimento recebido, sem obviedades, a leitura e a experimentação mudam o mundo. Quando temos uma compreensão maior de cada pequeno assunto, é que avançamos. Cada “obviedade” tem que ser pensada, até debatida, se estiver errada, somos obrigados a repensar outras coisas que você acha que sabe. Aqui incluímos quando algum profissional de TI diz “isto é automático”. NÃO É !!!

Infelizmente, num mundo em que postagens de 140 caracteres se tornam realidade em três segundos, fica impossível mostrar que a realidade é relativa e não existe nada óbvio ou automático, muito menos ululante, a não ser na cabeça de quem não topa o debate e acha que “respeitar opinião” e ver os leitores ficarem calados. Virou guerra de obviedades e quando professores falam que alguma coisa é óbvia, é o fim da linha.

O mundo mudou (penso que acabou mesmo em 2012), as redes sociais e a Internet promoveram uma revolução midiática. Grandes grupos de comunicação, que ditavam obviedade e suas “verdades”, estão sendo questionados 24h por dia (pena que ainda somos poucos). A qualquer momento as pessoas passarão a se apropriar com mais qualidade da tecnologia que tem à sua disposição. Espero que antes do fim do mundo real.

 

Imagem: Blog Limpinho e Cheiroso

Revisado e atualizado em 20mar16 às 14:10.

 

(*) Em processo de atualização e revisão