Analfabetos da Escrita

Dos males das Redes Sociais

Na condição de defensor ferrenho do uso de tecnologias em larga escala, da disseminação dos benefícios proporcionados pelas tecnologias da informação e comunicação, pode parecer incoerência a minha crítica à maioria delas.

Faz algum tempo que tenho feito críticas a como as pessoas entram de cabeça nas redes sociais e a situação só piora. Observo que, pessoas de faixas etárias que antes eram refratárias e resistentes às tecnologias da informação, ou qualquer coisa que estivesse relacionada a computadores, agora já pedem tecnologia, através de redes sociais. O Whatsapp virou hit entre os que queriam distância dos computadores. Menos mal?

Resolvi falar dos malefícios ou de tudo aquilo que está sendo deteriorado por redes sociais e por péssimos hábitos de quem nunca teve conteúdo e agora usa estes defeitos como se fosse a “cultura atual”. #SQN

Escrita

Tenho uma frase que utilizo desde quando comecei a dar aulas. Não me lembro como a frase apareceu na minha cabeça, certamente algum professor falou a frase, ou disse coisa parecida, e aquilo foi se consolidando na vida prática e pude comprovar que não era somente uma frase de efeito.

– Quem não sabe ler, não sabe escrever.

Muitos alunos tratam quem profere esta frase como se fosse uma pessoa arrogante, prepotente. Aí começa a se comprovar a veracidade da frase. Quem resmunga ou retruca a esta frase é porque vestiu a carapuça.

Há algum tempo, as pessoas deixaram pra trás a preocupação com a ortografia e com a qualidade da escrita. Os corretores ortográficos e de sintaxe ajudaram (e continuarão ajudando muito). Acontece que, como tudo na vida, se cada pessoa tem uma ferramenta para usar mas que quem vai usá-la não foi capacitado, vai sair alguma coisa errada. Com os corretores ortográficos e de sintaxe é assim.

Vieram as redes sociais e muitos de seus usuários, desqualificados para escreverem mais de três parágrafos, ou que erravam na ortografia, se aproveitaram e passaram a incorporar no Internetês uma fauna de erros absurda. E ai daqueles que se metessem a criticar por conta da escrita.

É compreensível a ocorrência de certos erros. Não podem ser considerados erros de ortografia. Teclados reduzidos e diminutos proporcionaram uma coleção de erros curiosos. Senão vejamos: “agente” (faltou somente um espaço em branco entre o “a” e o “g”); concerteza (erro de tecla do “n” e “m” e ausência de um espaço em branco). Erros explicáveis, compreensíveis. Mas que muitos passaram a COPIAR sem entender a explicação e sem corrigir o erro.

Poder da Comunicação

A qualidade da escrita depende da qualidade da leitura e do conhecimento mínimo de regras ortográficas e gramaticais. Com a Internet, dúvidas desta natureza podem ser solucionadas com um clique e 5 segundos. Mas a preguiça mental das pessoas e a necessidade de serem rápidas e ineficientes nas redes sociais, empana qualquer possibilidade de mostrarem-se cuidadosas, quando necessário.

Atendidos estes preceitos básicos de correção, quem escreve ganha pontos preciosos na comunicação. Esta condição está presente em todas as redes sociais. Alguém que redige desde um pequeno texto de 140 caracteres (suprassumo da preguiça e incompetência) até livros completos sobre determinado assunto, terá maior respeito dos interlocutores, e poder de impressionar a quem quer que seja, se mostrar capacidade na escrita básica.

Textos com “concerteza”, “agente”, “nada haver” promovem a falta de credibilidade de quem escreve. Acreditem em mim. E se a pessoa depende muitos dos revisores reais e automáticos, é importante que não confie muito neles, a menos que saiba como configurar e como atualizá-los.

Escrever corretamente, quando exigido, é uma das carências que as redes sociais estão embutindo nas pessoas. Em algumas situações, é permitido. Cuidado com os interlocutores que irão ler aquilo que você escreve. Pode ser que alguém que você não queria que constatasse sua ignorância esteja lendo. Já pensou uma candidata a namorada lendo “… para mim escrever eu preciso pensar antes …”. Trágico (a menos que a pretendente seja do mesmo nível, aí é o par perfeito !

Charge :  Autor não identificado

 

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando, URGENTEMENTE, de 10 (DEZ) doadores de sangue (qualquer tipo e fator), só assim ele, e muitos outros, conseguirão prosseguir com o tratamento e ter esperança numa melhoria e retomada da normalidade.

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Banco de Sangue – Hemoter

O Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.