Retrocesso Tecnológico

De retrocesso em retrocesso

Quando afirmo que o Brasil nunca viveu uma democracia e que o simples fato de termos eleições controladas maquiavelicamente não garante democracia plena, muita gente torce o nariz, de forma conveniente e conivente. Acredito que a maioria da população sonha que as eleições são limpas. Cansei de brigar para termos eleições transparentes. Com esta maquineta implantada a partir de 1994, é impossível.

Retrocesso

As eleições de 2014 foram um marco do retrocesso político no país. Aquilo que muitos imaginavam serem avanços democráticos, atingiu o limite do insuportável (para os oligarcas e os donatários das capitanias). Eles acreditavam que romperiam o ciclo virtuoso da gestão do Partido dos Trabalhadores no voto. Não conseguiram e as organizações que manipulam e detêm o poder no país não aceitaram os resultados das urnas.

Foram surpreendidos, davam como certa a vitória, até comemoraram. Ao se verem derrotados na urnas, proclamaram que a presidenta eleita não teria descanso. Fizeram auditoria nas urnas, viram erros graves mas não falaram nada porque não sabiam se os erros eram deles ou dos adversários vitoriosos. Como viram que ela estava resistindo, introduziram o golpe “democrático”, a pedido da população que queria o “… primeiro ela, depois …”. Instituições como a mídia (Globo e jornalões), a maçonaria e outros segmentos tradicionais na politica nacional, adestraram “políticos” em movimentos com base na Internet. Tiraram a presidenta seguindo roteiro descrito por um senador golpista.

O processo segue seu curso. Nada disso me surpreende. Estregam alguns de seus pares para imolação e visando “estancar a sangria”, com apoio da teleguiados.

Retrocesso Tecnológico

Mas vejo que não há limites. A coisa ficou absurda. Até onde eles não possuem a mínima competência, estão programando golpes.

Desde 2001 o Brasil possui uma das mais modernas normatizações sobre tecnologia. Coisa de país de primeiro mundo. Tema que tenho alguma especialização e conhecimento (muito embora existam alguns detratores que duvidem). naquele ano foi implementada a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil) que, numa analogia superficial e mundana, equiparou a assinatura digital à assinatura de próprio punho (através de regras e procedimentos indicados na Medida Provisória 2.200-2, de 24 de agosto de 2001.

Acontece que, no apagar das luzes de 2016 (alguém aí acredita que 2016 acabou?) um Projeto de Lei do Senado (146/2007)  foi desarquivado e votado com emendas feitas na escuridão daqueles salões do Senado Federal e que interferirão e prejudicarão, diretamente, a regulação de autenticação dos documentos eletrônicos aplicada atualmente no Brasil. Na realidade, usaram de um texto-base que é benéfico para o avanço da tecnologia de certificação digital e contrabandearam itens absurdos e inimagináveis em seus efeitos para o país. Nada que não assuste num espaço legislativo onde um eleito pelo povo diga que “… anistiar Caixa 2 não constitui-se num problema …”.

O que estão propondo com as mudanças em curso, sem consulta aos profissionais de tecnologia, é um golpe tecnológico dentro do golpe político. Tentando fazer uma comparação que seja compreensível, este Projeto de Lei do Senado (PLS), se aplicado e cumprido, dará oportunidade para que documentos fraudados possam ser “autenticados” e tornados legítimos. É como se uma confissão obtida através de tortura ou uma nota fiscal fria possa ser legitimada sem que o Judiciário questione sua “legitimidade”.

Massa ignara

E tem gente que acha que não é o fim do mundo.  Se as “massas” que foram às ruas pedindo “… primeiro ela…”, não se mexem com as ações que vem sendo perpetradas pelos golpistas, vão se preocupar com questões tecnológicas? Vão… estão pensando em como se beneficiar com mais esta fraude dos donos do pais.

Imagem: Reprodução Internet

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator), só assim ele, e muitos outros, conseguirão prosseguir com o tratamento e ter esperança numa melhoria e retomada da normalidade.

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Banco de Sangue – Hemoter

O Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.