Primeiro Eles ...

Quando o escárnio e a hipocrisia vencem a passividade

Estão brincando com a inteligência do povo brasileiro.

Os manifestantes que pediram e foram às ruas pelo impeachment estavam defendendo a frágil democracia brasileira ou estavam clamando pelo retorno de seus privilégios?

Claro que a maioria que foi às ruas, da mesma forma que aqueles caras-pintadas fizeram décadas atrás, foram massa de manobra. Aliás, foi curioso ver caras-pintadas e seus filhos, vestidos a caráter, de camisa da Selenike, símbolo maior da corrupção e impunidade deste país, desde 1500, achando que estavam mudando o país ao serem manipulados grotescamente pela mídia e revistas semanais. Não aprenderam nada.

Escárnio

As mais recentes “novidades” (já dizia o filósofo que quando a história se repete é uma farsa), os farsantes não se preocupam nem mais com as aparências. Algum tempo atrás publiquei post sobre “… a mulher de César …”, poucas pessoas leram. Sei de alguns que não leem porque é como se abrisse uma ferida que eles não querem ver. Igual avestruzes. Igual estão fazendo agora com os fatos e encaminhamentos que os golpistas estão colocando em prática.

Mesmo antes do golpe ser consumado, delator vez chegar às revistas e portais da Internet, conversa entre ele (delator) e senador da república, braço direito do então vice-presidente, com frases como “… temos que estancar a sangria …”. Tudo que o áudio dizia vem acontecendo. E da maneira mais hipócrita quanto possível. Aquele denunciante sumiu das manchetes, o golpe foi declarado e novos ministros foram empossados. Um a um destes ministros vai sendo denunciado, os pobres aparecendo e os jeitinhos sendo aplicados para a sobrevivência do golpe.

Primeiro ela …

Não existiu frase mais estúpida e imbecil bradada por manifestantes na história deste país. Esta em curso o golpe dentro do golpe. Com o apoio e a conivência de manifestantes tolos e teleguiados. Nas redes sociais os movimentos que pregavam transparência, mudanças, prisões e tantas outras sandices, agora se calam. Elegeram vereadores, prefeitos no bojo desta campanha golpista e agora sumiram. Estão calados de vergonha ou por conveniência.

Gran finale

Parece que o gran finale está para acontecer nesta terça-feira. Mataram um ministro do STF que era peça-chave na Operação Lava-Jato. A justiça do Paraná parece esta satisfeita com as operações que fizeram. Seu comandante-em-chefe prepara-se para mudar de país. Escolheram um Ministro da Justiça que era advogado do candidato derrotado em 2014 (aquele que prometeu não dar um minuto de sossego para a presidente deposta pelo golpe), um ministro da Justiça que tinha sido advogado de criminosos perigosos, um ministro da Justiça que tinha sido secretário de segurança em SP com atos e omissões comprometedoras, um ministro da Justiça que filia-se a um partido político logo após as eleições perdidas e que desfilia-se logo após sair de licença do ministério para providenciar sua posse na mais alta corte da justiça brasileira, e um ministro da justiça acusado de plágio e falsificação de titulação no Lattes.

Este ministro da justiça é quem vai ser “sabatinado” por senadores que deveriam se declarar impedidos pelas relações que tiveram (será que ainda tem) com este candidato a Ministro do STF. Mas não… fazem reunião prévia para acertar o que vai ser perguntado e o que vai ser respondido. Vamos combinar uma coisa: Se uma pessoa é candidata a um cargo na mais alta corte do país, tendo ela recebido dinheiro por seu trabalho para um ou mais senador eleito, seria importante e até honesto que os senadores que são do mesmo partido ou que tinham este candidato sob contrato, ou que possam ser indiciados em processos que este candidato irá atuar, que se declarassem IMPEDIDOS.

Quem não reconhece e aceita que estes políticos golpistas estão tratando o brasileiro comum com escárnio é porque é cumplice no projeto deles ou é massa de manobra da pior espécie.

Sepultaram, definitivamente, as chances de termos uma democracia no país.

Charge: Quinho

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator), só assim ele, e muitos outros, conseguirão prosseguir com o tratamento e ter esperança numa melhoria e retomada da normalidade.

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Banco de Sangue – Hemoter

O Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.