Portela Campeã - Febre Amarela - Não foi acidente

Não foi acidente (22)

Não foi Acidente

Uma barragem da mineradora Samarco, localizada no município de Mariana (MG), controlada pela Vale (Multinacional de origem brasileira, privatizada) e BHP (mineradora de origem australiana), rompeu-se no dia 5 de novembro de 2015, deixando um rastro de 19 mortos (um corpo ainda não foi encontrado), centenas de desabrigados, milhares de desempregados, Febre Amarela e o maior desastre ambiental, não natural, do Brasil e possivelmente do mundo, nos últimos tempos, com um rastro de poluição do Rio Doce até atingir o litoral capixaba. Certamente não foi acidente.

Algumas pessoas, e a maioria da mídia, esqueceu do assunto. Lá vamos nós para mais um post, todo dia 5, até que apareçam os culpados por este grave crime. Desde o primeiro post desta série, e muitos outros virão, é definitivo:

NÃO FOI ACIDENTE!

Deu Samba

Não sou fanático pela Portela. Admiro-a por causa de um de seus mais ilustres integrantes, Paulinho da Viola. Em matéria de escolas de samba do Rio de Janeiro, sempre torci pela Mocidade Independente, exclusivamente por conta de sua bateria, ou da antiga bateria de Mestre André. O resto é tudo a mesma coisa.

Ao ver o desfile da Portela, retratando o crime cometido pela Samarco, e ver cartazes escritos CRIME, fiquei emocionado. Perceberam que não foi acidente, e retrataram isto, de forma precisa. Não sei porque mas fiquei torcendo para a escola ser vencedora e aquilo que referenciava o maior crime ambiental do país ser destaque.  Estou feliz, deu samba!

Febre Amarela

Jornalista e repórter gosta muito de números, não conseguem produzir conteúdo e despejam números como doidivanas para aqueles que querem saborear tragédias. No caso da barragem rompida, números são escondidos. Seria em troca de algum patrocínio?

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais divulgou, dias atrás, muitos destes números. A maioria deles nada agradável, principalmente porque associa as mortes e ocorrências de Febre Amarela ao crime da Samarco. A maioria das cidades mineiras afetadas pela Febre Amarela (Minas é o estado mais afetado, naturalmente) está na Bacia do Rio Doce. Não é de se estranhar que os afluentes do Rio Doce estejam abrigando os animais que conseguiram fugir do mar de lama. Os animais fugiram contaminados – a mídia insiste em limitar, criminosamente, as ocorrências de Febre Amarela às margens do Rio Doce.

Biólogos e outros profissionais, preocupados com a questão geral, certos de que não foi acidente, afirmam que a lama contaminada ao avançar pelo Rio Doce e seus afluentes, deixou um rastro de toneladas de partículas tóxicas nos seus leitos de rio, a morte de peixes foi visível no Rio Doce, afetou outros animais como os sapos que comem mosquitos, mosquitos que infectam macacos, e tornando todos os animais mais suscetíveis a doenças – inclusive a Febre Amarela. Mas isto ainda é irrelevante para a mídia comprometida.

Na região do Rio Doce confirmaram-se 32 das 99 mortes devido a febre amarela. Alvarenga (1), Conceição de Ipanema (1), Entre Folhas (1), Imbé de Minas (2), Inhapim (2), Ipanema (5), Itueta (1), José Raydan (2), Piedade de Caratinga (6), Pocrane (1), Reduto (1) Santa Rita do Itueto (2), São Sebastião do Maranhão (2), Simonésia (3) e Ubaporanga (2).

O estado é o mais afetado pelo surto da doença, estão com as cidades de Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Manhumirim e Teófilo Otoni sob situação de emergência decretada pelo Ministério da Integração Nacional. E ainda estão pensando se o crime ambiental está relacionado com a doença.

Desde 2010 não havia registro de Febre Amarela em humanos no estado de Minas Gerais. Só para registro de números.

Imagem: Rede Diário (ES)

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator), só assim ele, e muitos outros, conseguirão prosseguir com o tratamento e ter esperança numa melhoria e retomada da normalidade.

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Banco de Sangue – Hemoter

O Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.