Escolhendo Atalhos

O dilema da escolha (*)

A carência de notícias boas (exclusividade da grande mídia) é tão crítica que quando aparece alguma coisa de promissora, acaba sempre havendo um equívoco na interpretação.

Foi-se o tempo em que jornalista relatava fatos, cronista emitia opinião, repórter relatava acontecimentos, articulista juntava situações de conjuntura e fazia seu proselitismo.

Hoje em dia, qualquer mequetrefe com diploma de cursos nada a ver, se julga no direito de ir para a WEB despejar sua sapiência, ao invés de relatar fatos.

Educação Pública

Walkíria Lajoia Garcia e Arthur de Oliveira Abrantes, ela carioca e ele mineiro, estão sendo guindados à fama, por terem sido aceitos em diversas faculdades dos EUA, algumas notórias, como Harvard, que deve ser escolha dos dois. Parabéns para os dois mas a forma como as manchetes e holofotes estão sendo direcionados, fica parecendo que os dois justificam a situação da escola pública.

IFET

Arthur estudo sempre em escola pública, tem currículo de realizações acadêmicas que o qualificaria para as melhores universidades no Brasil e fora do país. Não é surpresa. Mas a conclusão de que, por conta do desempenho deste valoroso estudante, não são necessárias cotas para estudantes originários do setor público, é de uma estupidez e vilania, ímpares.

Militar

Walkíria é filha de militares e experimentou os dois melhores colégios militares do país. Aluno que estuda no Colégio Minitar de Brasilia (CMB) está qualificado para os melhores exames de admissão no mundo. A única pendência é o domínio do idioma.

Estelionato

Reconhecimento aos dois é algo natural e compreensível. Tratar os dois como originados de escola “pública”, especialmente no caso do Colégio Militar, beira ao estelionato midiático, tão comum nos dias de hoje. Não se pega um exemplo, como estes dois, e faz uma generalização como a que estão fazendo.

É ótimo que mais e mais estudantes tenham oportunidade e recebam bolsas no exterior, mas este tipo de enfoque desrespeita o histórico dos que já trilharam este caminho e não conseguiram o sucesso que muitos imaginam. E até mesmo o tal “sucesso”, pode ter pontos de vista questionáveis.

É melhor preocuparmos com escola para todos, e elevação da qualidade da educação para a média ou grande massa de necessitados. Não é conveniente acabar com as cotas e muito menos achar que Colégio Militar se equipara a uma escola “pública”.

Dificuldades x Facilidades

Arthur e Walkíria, boa sorte, sucesso e bons estudos onde quer que vocês escolham estudar. Aguardamos vocês aqui daqui alguns anos. Nem sempre as dificuldades estão na escolha do caminho mais difícil, e nem as facilidades fazem parte da escolha mais fácil. Não escolham os atalhos !

Foto: Universidade da Família  (udf.org.br)

(*) Em processo de revisão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.