Fla e Globo - Tudo a ver

Impunidade, golpistas e a bola

Futebol Tupiniquim

Tenho falado muito pouco sobre futebol aqui no blog. Vou ampliar o tema não para reproduzir o que escrevo sobre o time do Cruzeiro, sobre o futebol mineiro ou considerações sobre a mídia tendenciosa e parcial, parida por chocadeiras como dizia João Saldanha. Vou falar sobre TJDs, STJDs, dirigentes, mídia e os times e como se comportam diante do bilionário negócio chamado futebol. A impunidade e golpes às regras não respeitam nem um 7 a 1.

A mídia

Há muitos anos venho dizendo que a mídia deveria ser isenta. Entretanto, profissionais (na realidade maus profissionais), especialmente, na chamada editoria de futebol, cada vez mais se locupletam por posições em que defendam, algumas vezes criminosamente, seus interesses clubísticos. Tornou-se comum torcedores transformarem-se em setorialistas e perpetrarem hábitos que condenam nos rivais. Em alguns estados, como aqui em Minas Gerais, a mídia é dominada por torcedores de determinado time (donos e editores) que existe até proteção para quem é do mesmo time e opressão para quem é contra. É a mais-valia a serviço da preferência clubística. Esta parcialidade e Fla-Flu vem desde o Tratado das Tordesilhas.

Um caso curioso

Jogar contra 11 é difícil. Jogar contra 11 adversários de qualidade (camisa) é mais difícil. Jogar contra 12 é complicado. Jogar contra 14 é mais complicado (no Brasileiro são 16 pois colocaram mais dois INÚTEIS na linha de fundo), de uns tempos pra cá são 15 ou 17 (árbitro reserva).

No jogo pela Copa do Brasil, na Vila Belmiro, placar apertado e vantagem do time carioca no regulamento. Aí o árbitro marca um pênalti em que ele estava próximo e que não precisava da ajuda de ninguém. Marcou sem convicção. Desanimado. A má vontade de alguns árbitros é patente em várias ocasiões, chegam a enervar os adversários quando querem.

Não se sabe como e nem porque, algum espírito de porco, longe do árbitro e da jogada, sopra ao ouvido dele que não foi pênalti. Mas como? Sim. Aí entra a Globo que se diz independente mas desde que foi criada só faz torcer e ajudar a aumentar a torcida “maior” do país. E é possível que, durante um longo minuto, narrador e comentarista de arbitragens, torcedores do time ameaçado, tenham soprado para o repórter de campo, que comentou, en passant, com o quarto árbitro.

O árbitro volta atrás no seu “erro de interpretação”.

Impunidade e Golpistas

Fosse alguma coisa séria, ou contra alguma Lusa da vida, o céu cairia, o cú cairia, o presidente cairia. Mas estamos no Brasil, país de golpistas. País onde dois ex-presidentes da CBF cumprem pena, negociam delações premiadas e continuam usufruindo de fortunas acumuladas e o presidente atual da entidade não viaja ao exterior. Será preso por polícias de países sérios.

Aí vem a Globo defender seu torcedor de campo (privilégio assistir aos jogos de dentro do gramado) dizendo que gastou muito dinheiro com o futebol no Brasil. Eu tenho certeza. Fabricar resultados, mudar campeões não é barato não. E ainda querem que a gente acredite que estes tipinhos travestidos de jornalistas, auditores de TJDs e STJD não vestem a camisa quando estão simulando serem profissionais.

STJD -Coluna do Fla - Impunidade

STJD -Coluna do Fla – Impunidade

Daí explica-se declarações de jogadores adversários sobre a árbitros que faltam vestir a camisa dos clubes que torcem.  Daí percebe-se que com tantos golpistas, corruptos, corruptores, o futebol brasileiro, mesmo tendo passado por um vergonhoso 7 a 1, não tem conserto. Daí conclui-se, facilmente, que nem terminará em pizza pois a impunidade não permite nem que CBF, STJD et caterva parem para preocupar-se com este caso e muitos outros.

E ainda tem golpista que quer convencer aos outros que a Rede Globo não tem poder no crescimento da torcida do Flamengo e que não influencia os times que paga, inclusive corrompendo dirigentes e assemelhados. E não pensem que a “coisa” é somente contra o Fla. Em cada estado, em cada redação, tem isso tudo. Parcialidade a gente vê por aqui. País da impunidade e golpistas !

Imagem: Reprodução Internet

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando, com URGÊNCIA, de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *