Dura Lex, sed lex

Dura lex, sed lex

Lex (A LEI)

Algumas profissões gostam de escreve diferente, gostam de mostrar sapiência por conta de termos e expressões que não são compreensíveis para os outros. Médicos com seus diagnósticos e siglas cifradas como como RPA, advogados com seu latim vulgar ou invulgar onde usam data venia e dura lex, profissionais de tecnologia da informação (TI) com suas sopas de letrinhas como TCP-IP. Muitas outras profissões agem assim.

Impressiona? claro que sim. Na condição de analista de sistemas, sempre defendi a explicação de um termo, o equilíbrio de palavras aplicadas a um contexto. Exemplifico, a sigla RPA para a área da saúde, pode ter outro significado em administração ou outro ramo do conhecimento. Na citação de meu convite de formatura, coloquei uma frase que, até hoje, muitos conhecidos não sabem o significado e com medo de se passarem por ignorantes, não perguntaram. Uma lástima !

Entendo que profissionais de cada profissão que se vangloriam perante profissionais de outras ramos do conhecimento por conta deste tipo de “conhecimento”, não passam de idiotas adestrados. Em tempos de revolução informacional, dado algum terno, sigla e palavra, e respectiva área do conhecimento, trinta segundos e uma banda larga de Internet razoável, vira-se “doutor” no assunto.

Vivemos o Lex neminem ou Vale-Tudo, IMNSHO.

Dura Lex, Sed Lex

Dura lex, sed lex não é uma expressão utilizada por advogados, juristas, rábulas e assemelhados em suas práticas jurídicas. Muito disseminada mundialmente, talvez por não ser usada em peças jurídicas, no Brasil, tenha caído como “letra morta”. Significa algo como “a lei é dura, porém é a lei”. Suponho que, no Brasil, esta máxima tenha sofrido “regulamentação” extra-constitucional.

A expressão se refere à necessidade de se respeitar a lei em todos os casos, até mesmo naqueles em que ela é mais rígida e rigorosa. A expressão remonta ao período de introdução das leis escritas na Roma Antiga; a legislação, até então, era transmitida pela via oral, e por consequência sofria diversas alterações por parte dos juízes. Estes juízes as refaziam de acordo com tradições locais, e introduziam uma série de interpretações pessoais, na medida em que eram os detentores do poder de se referir a esta tradição oral. Com a introdução das leis escritas, passaram a ser iguais para todos – e, como tal, deviam ser respeitadas, por mais duras que fossem.

Fonte: Wikipedia

Vida de golpista

Equilíbrio de poderes uma ova. É o artigo constitucional mais desrespeitado em todas as esferas públicas. E ainda aparece eleitor otário achando que existe paadino da justiça e heroi no Judiciário brasileiro. Ruy Barbosa eternizou o “locupletemos todos”. A frase que diz o Judiciário é “o Poder mais autoritário e mais corrupto da República” é tá repetitiva que não dá nem para saber se surgiu na época do Império ou veio importada da Grécia Antiga.

Notícias de colunistas político-sociais, a partir de alguma denúncia anônima (o que seriam destes colunistas e de nosso judiciário se não houvesse denúncias anônimas e premiadas, hein?). Adivulgação indica que um  juiz federal do Mato Grosso (MT) ganhou mais de meio milhão de reais (brutos) no mês de junho de 2017 (mais de R$417mil líquidos). No mês anterior ganhou mais de R$50 mil líquidos, pouco acima de 50% do teto constitucional.

Nem vou atrás de rastrear a vida digital deste juiz e de outros que recebem acima do teto constitucional ou valores como os acima indicados e que estão todos dentro da falida dura lex, sed lex tupiniquim. Mas os rábulas concursados e seus parentes próximos devem ter apresentado posição definida sobre o golpe civil constitucional ocorrido no ano que ainda não terminou de 2016.

Me desmitam os gopistas, vassalos e rábulas que defendem estes suseranos. Vale também para os capitães-do-mato e demais pesudo burgeses que vivem das migalhas destes donatários de capitanias. O preço que a maioria da população do país está pagando e vai pagar será caro demais. Assumam esta conta se forem, minimamente, honestos. OPS! falha nossa!

Vida de advogado

Existem muitas coisas no mundo que não gosto. Duas delas: falácias e analogias. Especialidades de advogados, rábulas e estudantes de direito. É comum exibirem seus pseudo conhecimentos através de verborragia inútil (tá,sei que é redundante. Antes que digam que estou sendo falacioso ou generalizado apressadamente sobre advogados, digo que existem EXCEÇÕES. No mundo de TI, uma das minhas formações, costumamos dizer se a pessoa tem conhecimento a mostrar, que seja transparente e apresente. É o “show me the code” ou mostre-me o código (que no caso são as sequencias de programas de computadores e não livros cheios de casuísmos e entrelinhas).

Minha homenagem aos advogados no seu dia – libero esta publicação, propositalmente, após a data festiva pois esperava manifestação de todos que concluíram seu bacharelado, sobre a situação do país. Não me enganei, todos ou quase todos foram às festas e golpes, raras manifestações de desagravo ao estado de coisas.

Não existe dura lex, existe conveniÊncia, oportunismo, chatagem, desequilibrio, injustiça.

Prerrogativa é isso ! Parabéns aos advogados(as) no seu dia !

 

Notas do Autor:

  1. Antes que venham me apedrejar, ou mandem mensagens reservadamente (poucos tem coragem!), aconselhando-me a não generalizar, leiam sobre a falácia Dicto Simpliciter que tento explicar com palavras não ofensivas. Sei o que a falácia da generalização.
  2. Recomendo, fortemente, aos que se interessam em construir conhecimento, uma poesia, declamadaante o silêncio de mais de 300 picaretas. Vídeo poeta Antônio Marinho (Facebook)

Charge: Cicerex

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando, com URGÊNCIA, de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.tão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *