Vaga de Estagiário

Respeite meu estagiário

O Estagiário

Estagiário nunca foi sinônimo de importância em nada. Sempre de forma pejorativa. Todos, inclusive os próprios, referem-se aos estagiários como algo de baixa qualidade. Já fui estagiário, por pouco tempo, depois de formalizar minha aposentadoria, comecei a atuar como consultor. A questão dos estagiários é complexa. Depois das mudanças das relações de trabalho no Brasil, me coloquei na pele deles. Abri alguns debates sobre a questão de empregabilidade e empreendedores despreparados, mas parece que não é de interesse geral, pela baixíssima audiência.

Estagiário, o filme

Depois de ver o filme “Um Senhor Estagiário” (“The Intern” nos EUA e “O Estagiário” em Portugal), produção de 2015 da Warner Bros. Picture e estrelado por Robert De Niro e Anne Hathaway, comecei a pensar, tardiamente, nas condições do Ser estagiário.

O filme me chamou a atenção pela contemporaneidade do tema. Uma bela jovem inteligente é uma espécie de uma startuper (aí começam os questionamentos e a perspicácia do autor/diretor sobre a questão das mulheres à frente de inovações e tecnologia aplicada e seus dilemas pessoais) que fez sucesso com sua iniciativa na Internet e resolve contratar um estagiário sessentão.

O tema torna-se interessante pois, após a minha aposentadoria, tenho encontrado muitas dificuldades em me relacionar profissionalmente com pessoas mais jovens e ideias “modernas”. Fico com a impressão, a começar dentro da minha casa, que estas gerações não confiam ou não acreditam que pessoas mais velhas possam entender certas coisas. Possivelmente algo que esteja relacionado ao preconceituoso conflito de gerações.

De volta ao passado

Assim, depois de ver o filme e analisar algumas coisas, resolvi escrever sobre o tema. Ultimamente, vejo uma enorme resistência sobre alguns avanços tecnológicos anunciados por mim e nas redes. Uma das questões que tenho falado e que provoca espanto em muita gente nova é sobre a Singularidade Tecnológica. Tem dado um nó na cabeça de muita gente nova.

Já estive em posição de gerenciar estagiários, alguns viraram amigos até fora do ambiente profissional. Participei de brincadeiras com alguns deles que provocaram até choro. Hoje damos algumas gargalhadas ao lembrarmos de alguns episódios, mas houveram momentos tensos. Não me esqueço de alguns deles quando os períodos de estágio estavam se encerrando e as organizações deveriam decidir por contratar somente um, dentre vários. Bons tempos #Tensos.

De volta para o futuro

Neste momento, que alguns insistem ser de crise, em que demissões estão sendo comuns, numa situação em que o desgoverno resolve incluir pessoas da economia informal como “economicamente ativos” para reduzir taxas de desemprego, vou lançar uma campanha: ADOTE UM ESTAGIÁRIO EXPERIENTE. Garanto que, na maioria dos casos, poderão contratar um estagiário muito competente e conhecedor daquilo que acontece nas empresas.

Fiz algumas projeções. Se cada empreendedor, startuper, CEO, CSO, CIO o escambau, resolver contratar um estagiário de diretor, terá um profissional capacitadíssimo. Vejo muitos gestores, dirigentes e assemelhados que não tem a mínima noção do que estão fazendo e para onde estão indo. Não é por acaso que, 75% de iniciativas de novos empreendimentos, denominados startup, fracassam em menos de 4 anos. Os números são assustadores, mesmo que muita gente ainda doure a pílula para modismos e superficialidades.

Em edição recente da revista FONTE, aparentemente, fui o único a tratar do tema dos fracassos deste tipo de iniciativa empreendedora que virou moda. Neste momento, a questão da criação de startups, de apps parece aquele  sonho de todo menino que joga bola. Eles sonham, lá pelos 12/13 anos de idade, em jogar num Real Madrid, Barcelona ou outro. Apenas um conseguirá, milhões perecerão, mas continuam alimentando o sonho até a realidade bater à porta. A realidade é cruel.

Alguém precisa de um estagiário quase sessentão? Cartas para a redação.

 

Imagem: Anúncio original DMV Comunicação

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando, com URGÊNCIA, de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Telefone: (31) 3295-4584

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *