Justiça de Rábula Concursado

A ditadura do rábula concursado

Rábula

O Brasil é um país atípico no tratamento de diversas questões. Desde o mais vil rábula até o empresário mais correto. Pau que dá em chico não costuma dar em Francisco. Raça, religião, sexo, idade, orientação política, classe social, tudo é tratado de maneira diferenciada. Não conheço a história real da maioria dos países, mas vejo que quase todos obtiveram sua independência como Estado e Nação a fórceps. Muitos com derramamento de sangue. Outros com guerras violentas. Muitos povos ainda não possuem seu território e são submetidos a crueldades e tiranias. No Brasil não é assim, pelo menos na minha visão e pelo que aprendi além dos livros escritos por quem considera-se vencedor.

No caso do Brasil, a Constituição privilegia alguns em detrimento de outros. Existe rábula que é tratados como advogado. Sempre tiveram privilégios e não conheço outra profissão ou corporação que tenha tantos sob regras constitucionais. Antigamente, desde o Brasil Colônia, esta casta tem privilégios, que costumam chamar de prerrogativas, quase absurdas. Isto alastrou e conheço muita gente que escolheu esta profissão pelos privilégios. E como disse o síndico, não poderia dar certo.

Ruy Barbosa

Sou fã de Ruy Barbosa, das suas frases, de seu pensamento, de sua lógica de estadista e cidadão.

“De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.” Ruy Barbosa

A partir do momento que entendi esta pérola do pensamento tupiniquim, passei a admirá-lo e estuda-lo.

Senti a vergonha que ele sentia quando via rábulas triunfando. Mas assim mesmo ele continuou lutando.

Ditadura dos rábulas concursados

Venho escrevendo este post há muito tempo. Fiz a base mais de seis meses atrás, sempre mirando nos acontecimentos e no posicionamento e manifestações de juristas, advogados. bacharéis, estudantes de direito e outros.

CASOS

Um procurador do Ministério Público, do Estado de Goiás, usando de argumentação e justificativa claramente políticas, que refletem – sem esconder apaixonada ojeriza – sua opinião de rábula, a respeito do atual governo, manda tirar do ar a campanha das Olimpíadas. Justamente ali comecei a construir este post.

Outro rábula, ops! procurador, ligado à Operação Lava-Jato, afirma que é preciso, no contexto do trabalho de investigação, realizado no âmbito da mesma operação, “refundar a República”.

Um desembargador federal suspende sessão por entender que a roupa de uma advogada não estava no padrão de qualidade que ele, desembargador, julgava necessário para o tribunal “dele”.

Ministros, juízes e assemelhados nomeando filhos, filhas, noras e afins. Se não for possível nomear sob a própria tutela pratica-se a nomeação “cruzada” ou troca de favores.

Juízes quem cometem crimes se aposentam com vencimentos Integrais. Juízes acham normal ganharem uma, duas, três, dez vezes mais do que o teto constitucional. Entendem estes doutos que merecem auxílios e complementações além do racional e honesto para com o país.

Um ministro do Supremo, em plena sessão de tema nacional, e com transmissão por TV, pede respeito e diz que “… aqui você não trata as pessoas como trata seus capangas …”.

GOTA D´ÁGUA

Resolvi encerrar este post ao ver o desaforo e parcialidade de uma rábula, travestida de procuradora/juíza do Paraná na inquisição do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. A concursada emitiu opinião e ainda passou uma carraspana no depoente exigindo que fosse denominada “doutora”. Doutora em quê mesmo? Dra. Rábula?

Ora, não consta na Constituição Federal, que o Ministério Público, tenha entre suas atribuições, refletir a opinião pessoal – e muito menos partidária, que lhes é vetada – de seus membros, ou a de “refundar a República” ser aclamada como doutora e outros absurdos. Isto só pode ser coisa de rábula.

Na mesma balada, surgem indícios na imprensa (eu sei o que acontece há mais de 20 anos) de que alguns cargos de juízes, procuradores, auditores de Tribunais são comprados. E existem operações policiais que identificaram que muitos concursos públicos tiveram vagas compradas para os “aprovados” ajudarem políticos quando precisassem.

Resumindo, o fundo do poço ainda tá longe e o buraco é mais fundo e muito mais embaixo. Se fazem o que fazem com um Ministro do STF, com um ex-presidente, o que não fazem país afora com um pobre de um cidadão que depende de defensor público Ou não pode pagar um rábula de nome?

Ruy Barbosa estaria escandalizado com o que dizem e fazem em nome dele.

Fico com a frase (que me falha a autoria e tenho certeza que não é minha:

“Passar em concurso não é selo nem garantia de honestidade, nem de caráter, nem de sanidade mental, nem de compromisso com o bom senso, ou com o futuro.”

 

Reprodução: Internet

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando, com URGÊNCIA, de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Telefone: (31) 3295-4584

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *