Não foi acidente

Não foi acidente (32)

Acidente ou Crime?

Uma barragem operada pela Samarco, mineradora controlada pela Vale (Multinacional de origem brasileira, privatizada) e BHP (mineradora de origem australiana), localizada no município de Mariana (MG), rompeu-se no dia 5 de novembro de 2015.  Deixou um rastro de 19 mortos (um corpo ainda não foi encontrado). Não foi acidente.

Centenas de desabrigados, milhares de desempregados e o maior desastre ambiental, não natural, um não acidente de grandes proporções no Brasil e possivelmente do mundo, nos últimos tempos. Deixou um rastro de poluição e degradação no Rio Doce até sua foz, no litoral capixaba.

A indignação não me deixa esquecer. Passados mais de dois anos, muitas pessoas, e a maioria da mídia, já esqueceram o assunto. Lá vamos nós para mais um post, todo dia 5, até que apareçam os culpados por este grave crime e que sejam julgados com rigor e que, se definidos como culpados, sejam condenados e cumpram suas penas.

O Crime compensa

Fiquei algum tempo sem liberar posts sobre os crimes de Mariana pelo oba-oba da mídia, dos políticos e afins em comemoração (???) pela passagem de dois anos do abominável crime, se punidos e com as vítimas só aumentando. Vi matérias com excelente conteúdo, mas vi um descaso enorme e esquecimento por completo após a data “festiva”.

Os brasileiros, e especialmente os Mineiros, ainda não se deram conta da gravidade do assunto. Ainda vejo muita gente colocando panos quentes e apontando seus dedinhos imundos e sujos de sangue (dos outros é claro !) na direção de outros criminosos.

Vemos que o crime compensa quando a Federação das Indústrias do Espírito Santo, a exemplo da sua co-irmã mineira (que faz pior), premia um dos responsáveis pelo crime de Mariana para ser gestor de uma de suas áreas. Certamente, como acontece em Minas, a entidade pouco se importa com indiciamentos, julgamentos e até condenações. Manter gente assim é tarefa de compadres.

Alguém tem que ser recompensado pelos crimes cometidos em nome da ordem e do progresso.

Não esqueceremos.

Desde a primeira publicação de post deste tema, no primeiro post de “Não foi Acidente“, não me canso de dizer que não me esquecerei do assunto. São 26 meses, a indignação, quando falam que foi um “simples” acidente, só aumenta. Quando autoridades públicas citam o termo “fatalidade” referindo-se ao crime, o sangue azeda. Os posts das datas em que não me manifestei serão liberados. Manterei a proposta enquanto puder. Em respeito aos trabalhadores que tiveram suas vidas reviradas por lama, que eles não produziram, e em respeito à população e cidadãos honestos deste país.

 

Imagem: EFE

Pedido de Doação

Assim como no ano velho, reitero meu pedido.

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de sangue para transfusão ou de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Telefone: (31) 3295-4584

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.