Bar do Caixote - Belo Horizonte

Belo Horizonte – Algumas pragas

Belo Horizonte

Nasci e fui criado nesta cidade, portanto, conheço-a muito. Já arrumei briga com nativos de outros estados e até de outros países Tudo por causa da minha defesa das coisas deste belo horizonte e das montanhas de Minas Gerais. Assim sendo, sou bairrista e extremista, reconheço. Certamente, melhor lugar para se viver não há.

Outrossim, recomendo a todos que nunca conheceram que a conheçam, acompanhado, é claro, por alguém que conheça e ame esta cidade. Nos meus posts de “Bate e Volta“, tenho alguns que são passeios altamente recomendáveis nesta cidade (menos em tempos de epidemia de Febre Amarela).

Mas, porém, contudo, todavia (sempre tem um mas). A cidade tem umas pragas que tá ficando difícil de se livrar. Toda cidade deve ter suas pragas ou coisas que seus habitantes detestam. Estou na fase de detestar e ficar ouriçado como um porco-espinho, quando vejo alguém insistir com estas coisas. Três delas são apresentadas a seguir.

Drogaria Araújo

Inegavelmente, esta rede de drogarias é a mais tradicional da cidade. Faz parte da história. Quando eu era criança, o tal do Drogatel, que levava remédios em fuscas amarelos com desenho ridículo na porta, era uma atração. Os tempos mudaram e hoje os cachorros-doidos fazem as entregas, em Belo Horizonte e na região metropolitana. Mas existe uma Araújo perto de você.

A Drogaria expandiu muito em função da concorrência nacionalizada, e colocou lojas em qualquer lugar da cidade, literalmente.  Por exemplo, perto da minha casa (num raio menor do que 1km) existem quatro, e estão reformando uma loja para eu ter uma nova filial a 100 metros.

A quantidade é irritante? Sim. Mas o que mais me irrita é o atendimento e insistência de seus funcionários, brigando por produção e empurrando seus cartõezinhos de comissionamento. Aí quando chegamos no caixa ainda tem as doações do centavos ou moedinhas.

Nem discuto o modelo de gestão e algumas questões sobre remédios, genéricos e outras coisas. Mas acho que este modelo de empresa não é bom. Pelo menos pra mim.

P.S. Em função de algumas mensagens e comentários que recebi, destaco que o modelo não é bom pra mim ou para muitos dos belo-horizontinos. Estas coisas servem somente para rir um pouco em stand-up isto porque tem muito mais coisa errada.

Posto Ipiranga

A princípio, suas propagandas nunca eram chatas, hoje ficaram repetitivas e pouco criativas. Em Belo Horizonte, os postos desta bandeira eram ruins e poucos. Lembro das duas velhinhas fofocando na janela sobre a mocinha e seu namorado no carro.

Aí veio o “pergunta lá no Posto Ipiranga”.

Da mesma forma, o bordão do posto pegou igual refrão de música ruim do Michel Teló. Os postos renovaram-se e ampliaram a rede. Serviço de qualidade que é bom. Nem perguntando. O bordão ficou chato e em Belo Horizonte, muita gente tem usado como referência para outras atividades. Virou igual aquela marca de lavadora.

A concorrência está dormindo, usufruindo das benesses do golpe. Ou então o povão é assim mesmo e gosta de bordões irritantes. Este bordão é muito chato se estiver associado à minha cidade. Pelo menos pra mim.

Boteco Ruim

Belo Horizonte é conhecida como a capital “mundial” dos botecos. Uma vez que os tais “copo sujo” são patrimônio imaterial. Outro dia, alguém da mídia publicou um ranking de quantidade de botecos por bairro. Continha erros. Colocaram a culpa dos erros nos computadores (sacripantas tem este péssimo hábito quando erram!).

Mas a capital dos mineiros (pelo menos para a maioria!) tem muitos botecos ruins. Quantidade nunca esteve relacionada à qualidade, principalmente quando o assunto é boteco em Belo Horizonte.

Mas o que mais tem me irritado é a quantidade de boteco ruim, que passa por uma sessão de boutique, vira espetaria, grill ou qualquer outro adjetivo “moderninho” e um monte de amigos do donos começam a curtir e compartilhar o lugar. O objetivo, da maioria deles, é dar um UP, falaciar o sucesso e arrumar um otário para comprar o ponto e fechar em seis meses.

E não adianta fazermos o trabalho de consultor. Pagam e perdem milhões mas não aceitam o trabalho de um consultor. Este tipo de boteco midiático é coisa de gente canalha, e suja o nome da cidade em relação a botecos. Pelo menos pra mim.

Exceção às regras

Enfim, tenho evitado Drogaria Araújo, Postos Ipiranga e botecos com badalação de rede social e muito ruins. Falsidade tem limite !

A imagem que ilustra este post é uma exceção à regra. O Bar do Caixote ganhou notoriedade e cumpre aquilo que se propõe (mesmo que “descolados(as)” de rede social queiram torna-lo cult (se é não conseguiram). Mas são exceções à regra dos botecos. Mas com Drogaria Araújo e Posto Ipiranga, não tem exceção.

 

Imagem: Reprodução da Internet

Pedido de Doação

Assim como no ano velho, reitero meu pedido.

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de sangue para transfusão ou de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Telefone: (31) 3295-4584

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *