Assédio Moral

Assédio Moral

Assédios

A palavra assédio tem origem em diferentes vocábulos do latim. No geral foi criada para dar ideia de cerco, cilada, aproximação, no sentido de conquistar. Inicialmente referindo-se a cercos militares. Entrou no dicionário contemporâneo pela abordagem entre pessoas, virou um modo figurado da palavra original. E tem se tornado, em algumas sociedades, uma questão legal da reação entre pessoas. O assédio moral é um dos mais vistos e menos tratados de forma correta. Entendo Inclusive que, antes de qualquer tipo de assédio ser colocado em prática, antecede o assédio moral.

A frase que tem sido repetida muito entre pessoas que discordam do assédio é “Não é Não!”. Mais com a conotação de responder ao assédio sexual. Entretanto, a frase seria apropriada a qualquer tipo de assédio. Mas o cerne da questão é que nenhum assediador aceita o NÃO como resposta a qualquer ação.

Assédio Moral

Em linhas gerais, o assédio moral significa que alguém expõe outra pessoa, na maioria dos casos, individualmente, a situações de ameaça, autoritarismo, constrangimento, humilhação, isolamento, pressão e mais algumas ações de forma repetitiva e/ou prolongada. Não que a ação uma única vez, principalmente se feita em público, não se configure um assédio moral.

Depois da criminalização do Assédio Moral no serviço público, seja no exercício das funções ou em atividades envolvendo hierarquia funcional, as coisas começaram a mudar. Mas a praga das manifestações em redes sociais está provocando reações de assédio que tem prejudicado até contratações de emprego, num claro desrespeito às liberdades e garantias constitucionais.

Tem sido comum no processo de contratação de profissionais, recrutadores fazerem pesquisas e redes sociais e jogarem no lixo currículos de pessoas que eles (recrutadores), como critérios pessoais, julgam inadequados à vaga. Este tipo de assédio está enterrado e faz parte do obscurantismo praticado por pessoas que abusam da sua “autoridade”.

Setor Público

Mesmo que possa ser tipificado como crime para servidores públicos, qualquer tipo de assédio moral, chefes e chefetes ainda não se deram conta de que podem ser denunciados. E que a qualquer momento, os “escravos” e “barnabés” podem se rebelar.

Mesmo que ainda estejam imaginando que o mundo mudou, e que por não participarem de redes sociais e afins, estes assediadores profissionais, a maioria incompetentes do ponto de vista profissional, e cheios de deslizes éticos e morais, estão correndo risco de serem denunciados.

Denuncie !

Sofri e ainda sofro assédio moral. Talvez todos sofram, de alguma forma. É o preço a se pagar para obtermos outras “recompensas”. No setor público é mais grave pois a espada corta cabeças sem piedade. No setor público, as reformas trabalhistas vão jogar por terra todos os avanços contra o assédio moral. Aliás, tenho informações que empresas públicas já estão usando deste ato covarde e que o Poder Judiciário está coadunando com este tipo de assédio moral.

O assédio moral está debilitando a saúde das pessoas. Tornou-se uma epidemia. Redes Sociais valoizam assediadores e tornou-se o paraíso deles para cometer este e outros crimes e contravenções.

Assediadores(as) morais, sua hora vai chegar !

P.S. Esqueci, propositalmente, de colocar o termo comum a dois gêneros. Engana-se quem pensa que as mulheres (as que dizem que “Não é não”) não fazem parte do grupo de assediadores. Algumas são piores. Chegam a usarem da condição de “sexo frágil” para pegar pesado no assédio moral. Mas Assédio Sexual é papo para outro post.

 

Charge: Reprodução Internet

Pedido de Doação

Assim como no ano velho, reitero meu pedido.

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de sangue para transfusão ou de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Telefone: (31) 3295-4584

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *