Pegação - Bom Sucesso (MG)

Acabou a pegação

É Carnaval !

Quando é carnaval, tudo se transforma. Infelizmente, no Brasil, preocupa-se mais com a pegação no Carnaval, com fazer o ano começar antes do Carnaval. Começa pelo Judiciário que se concede férias generosas aos cidadãos que pensam somente na folia. Os ditos empreendedores e empresários, reclamando do faturamento mas gastando tudo que obtiveram com a mais valia que não vale mais nada.

Escolas de Samba

As escolas de samba sempre tiveram espaço para a criatividade e manifestações populares. Há muitos anos, entraram no sistema. Algumas receberam polpudas verbas de governos, a pretexto de contarem histórias do país, para exaltar políticos em campanha e abrir vaga para celebridades e sub-celebridades nas suas alas e destaques.

Neste ano, duas escolas ganharam notoriedade acima da média, Tuiuti e Beija-Flor, pelos enredos politizados. A patuleia chegou a dizer que a esquerda dominou as duas escolas. Nada mais patético.

O Rio de Janeiro fervendo, violência urbana em velocidade 5 e o alcaide viajando pela Europa pois a religião dele não permite que ele seja visto ao lado de mulheres com pouca roupa. O governador admitindo que perdeu o controle. E a Globo demorando 24 horas para falar das alegorias que ela transmitiu com exclusividade, ao vivo. É pracabá !

Belo Horizonte

Diziam que Belo Horizonte era o túmulo do samba. Nunca foi. Confundiam carnaval com samba. Típico de gente que não sabe do que fala. Por causa de um prefeito burro (Márcio Lacerda – PSB), que queria proibir blocos e manifestações locais no carnaval, o festejo de momo ganhou força em Belo Horizonte. Muitos blocos e mais de dois milhões de foliões saindo às ruas atrás dos blocos. Um fenômeno! Sensacional para quem vive do turismo e da exploração.

Estive em vários blocos, tentei ajudar na organização de um (Bloco Chain) e observei mais os bastidores e o bloco after nas ruas. Fiquei muito triste ao ver certas coisas. Conversei com garis que tem a função de limpar a sujeira. As reclamações dos moradores que não tem nada a ver com a festa e não gostam da festa, tem todo o sentido.

Ouvi de vários foliões, inclusive de outros estados que aqui estiveram;

–  Belo Horizonte tem um dos três melhores carnavais do país.

É pracabá !

Pegação

Pegação é um termo relativamente recente. É um comportamento, por si só, preconceituoso. Era, originalmente, implementado e praticado por homens em relação às mulheres. O mundo acabou em 2012 (Os Maias estavam certos !) e depois de acabar, está mudando. As mulheres também entraram na onda e aproveitam o carnaval para praticar a pegação. Nada contra, mas estão extrapolando.

Na cidade mineira de Bom Sucesso (na região conhecida como Oeste Bravio de Minas), a coisa ficou esquisita. Um Secretário de Turismo, integrante do bloco “Ousadia e Alegria” diz que não tem nada com a tabela de pontuação da pegação, mas que não vê problema nisto. É um bom exemplo em ano eleitoral.

Para ficar no básico e preliminar, os caras fizeram uma pontuação que faz apologia da cultura de misoginia, homofobia, gordofobia, pedofilia, racismo e outros preconceitos que indicam quais pessoas estão sendo alegres e ousadas, como nas redes sociais. Mas dizem que no Carnaval vale tudo. É pracabá !

Acabou !

Agora é começar o ano (tentei começar dia dois de janeiro), aliás, tentei começar dia 10 de dezembro, e tenho sido rechaçado desde então para TUDO que diga respeito a planejamento (já havia falado sobre a necessidade de planejamento mínimo das coisas – mesmo o planejamento pessoal – em outro post no ano passado). Não tem jeito, brasileiro reclama de tudo, mas faz da vida um eterno carnaval.

 

Foto: Reprodução/Portal UAi

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de sangue para transfusão ou de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Telefone: (31) 3295-4584

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *