Só a mulher peca

Só a mulher peca, um episódio

Altered Carbon

Em primeiro lugar, “Só a mulher peca” (título em português) é um dos episódios da série Altered Carbon (original NetFlix). A série teve, recentemente, dez episódios liberados e foi baseada no livro homônimo. Não confundir este episódio com o melodrama hollywoodiano “Só a Mulher Peca” (originalmente “Clash By Nigth”) de 1952. Nada a ver.

Surpreendentemente, ainda fico observando nas timelines das quais participo, e ainda vejo estupidez nos eleitores tresloucados do Bolsonaro. Bolsominions apoiam a maluquice daquele que, declaradamente, tem problemas quanto à autoridade, atitudes e atividades das mulheres.

Assim sendo, nesta data comemorativa, só a mulher peca. Além disso, estou certo de que a hipocrisia daqueles que homenageiam, hoje, as mulheres, superou todos os limites do imaginável.

O Livro

Livros que viram filmes ou séries não são meus preferidos, sobretudo quando o gênero é ficção. Em Altered Carbon, alguns temas me chamaram a atenção ( é muita tecnologia – singularidade tecnológica é pouco ).

Após ver séries como “Black Mirror” – publiquei o primeiro post recentemente com o título “Real Black Mirror “. Agora publicarei posts análogos e sobre várias séries. E estou pensando em ler as obras, como a escrita por Richard K. Morgan, autor de diversos livros de ficção e fantasia.

Assim sendo, resolvi ver a série e anexá-la à minha playlist. Séries que questionam os comportamentos ditos moderninhos e politicamente aceitáveis, por nossa sociedade virtualizada. Estes comportamentos, na realidade, são lixo puro. Nossa sociedade se esconde atrás de liberdades e outros direitos…

A história é ambientada no ano de 2384 e o “cabra” (autor) é bom. Se bem que estou pensando em ler o livro.

A Série Netflix

Naquele ambiente ficcional, as memórias das pessoas estão decantadas/depositadas em  “pilhas corticais” (adorei esta parte). Estes dispositivos de armazenamento são duplicados em massa, uma vez que, por engenharia reversa, são inseridos cirurgicamente nas vértebras na parte de trás do pescoço e qualquer corpo.

Os corpos físicos são chamados de “luvas” ou “capas” (sleeves), que permitem, inclusive, uma recuperação trans. São corpos descartáveis que podem aceitar qualquer “pilha cortical”. Em resumo, Kovacs, o “maluco” principal, é um agente de marketing político com habilidades mercenárias e revolucionárias, não obrigatoriamente nesta ordem e proporção.

Kovacs desperta 250 anos depois de seu ‘sleeve‘ e tem a “opção” de ficar numa prisão pelos seus crimes pretéritos. Por outro lado, pode viver “eternamente”, desde que resolva um problema para um Matusa (*).

De acordo com o enredo, o protagonista torna-se o único “revolucionário” sobrevivente após 250 anos. O mais impressionante é que o episódio “Só a mulher que peca” é uma ironia. Num contexto em que as mulheres dominam a tudo e a todos, é uma exceção. Impressionante como tem gente que não consegue pensar o todo desde a parte ou seccionamento.

Só a mulher peca

Não faço spoiler do livro, da série ou do episódio (assim como outras séries e episódios, tenho recomendado às pessoas que assistam – neste caso tem quer ver na sequência). A série toda trata de temas tabus no mundo de hoje, embora os politicamente corretos tentem mudar o quadro. Morte, empoderamento feminino, inveja, cobiça, traição, poder etc.

Neste episódio, entretanto, só a mulher peca.

Enfim, não recomendo que este episódio, e muito menos os outros da série, sejam vistos separadamente. Algumas abstrações, sobre o contexto e episódios anteriores, são necessárias, o que não é trivial para quem procura somente passar o tempo.

Portanto, esta é minha homenagem às mulheres nesta data, pecadoras ou não.

Tirem um tempinho para ver a série e imaginar o mundo que deixaram ou deixarão para seus filhos. Antes que algum deficiente mental ou “radicaloide” religioso/político  imaginar que não precisam de mulheres para gerar filhos.

Em síntese, não é só a mulher que peca.

(*) Matusas são a casta de privilegiados que contratam capitães do mato para serviços sujos.

P. S.Revisado e atualizado em 20mai18.

Citação: Cora Coralina

 Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de sangue para transfusão ou de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Telefone: (31) 3295-4584

4 comments for “Só a mulher peca, um episódio

  1. Maria Celeste Gonçalves Campos
    09/03/2018 at 19:48

    Belo texto, Evandro.
    Obrigada pela dica. Estou vendo “Mérly”. Depois passa para essa série. Aceito outras ndicações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.