Cilada para patos

É cilada, Bino !!! (2)

Uma Cilada

A palavra cilada pode parecer simples, se considerarmos a questão dos símbolos incompletos, como definiu Bertrand Russell, a palavra ganha diversas conotações e contextos. Resolvi usar a expressão de um seriado tupiniquim (Carga Pesada – TV Globo) em que um dos personagens dizia “É cilada, Bino !” toda vez que acontecia algo de diferente.

cilada
substantivo feminino
  1. 1.
    ação de surpreender o inimigo ou a caça; emboscada.
  2. 2.
    p.met. lugar encoberto, ger. junto ao caminho, onde se fica de tocaia para aguardar o inimigo ou a caça.
  3. 3.
    ação que visa iludir, lograr; ardil, estratagema, armadilha, arapuca.
  4. 4.
    perfídia, traição.
Origem
⊙ ETIM lat.medv. da península Ibérica, segundo Corominas, celāta,ae ‘id.’

Fidelidade

Sou usuário de programas de fidelidade, milhagem, benefícios ou o nome que se queira dar para aparentar “modernidade há muitos anos. Hoje em dia, faz-se necessário ser um pouco economista para não cair em nenhuma cilada, operacional, econômica ou financeira. Aquilo que era considerado um diferencial, virou comum e não conheço nenhuma pessoa inteligente que se julga “especial” por usar este ou aquele programa de recompensas.

Milhas Aéreas

Programas de Fidelidade são antigos. A Western Airlines por volta de 1980 implementou o que alguns atribuem ser o primeiro programa de milhagem. sem nenhum tipo de cilada mas muito rudimentar e sem apoio de nenhuma tecnologia. A American Airlines, no ano seguinte, implantaria seu Aadvantage que tornou-se referência no mundo da aviação. No Brasil, a TAM foi pioneira ao criar seu programa de fidelidade em 1993.

Para muitos a cia pioneira foi a American Airlines com o seu Aadvantage em maio de 1981.

No Brasil a pioneira foi a TAM do comandante Rolim, que criou o programa Fidelidade TAM, em 1993, voltado principalmente ao turismo de negócios

Bau da Felicidade

Não é por acaso que considero o programa de recompensas mais antigo o carnê do Bau. Talvez o mais longevo e exitoso. Uma verdadeira cilada. Eu ainda era criança e via as propagandas e as lojas de rua que vendiam produtos mais caros e trocavam por badulaques para quem pagasse o carnê, “religiosamente” em dia”, com direito a sonhar em participar de um roletrando da vida. A fidelidade e a felicidade tem seu preço.

Modernidade

As tecnologias fizeram com que tudo mudasse de nome, Carnê do Bau virou Jequiti, engana trouxas virou marketing de rede, e a cilada de cada programa de fidelidade multiplicou-se exponencialmente. De maneira geral, podemos dividir os programas de fidelidade em três tipos, cada um com seus nomes, maras, trejeitos, canais de acesso, marketing, recompensas, transferências etc etc etc.

Coalizão

São programas de empresas e gestores diferenciados que se unem para convergência de pontuação. O consumidor faz uma compra pensando que tá acumulando milhas para uma viagem aérea e seus pontos são transferido para um outro que só pode dar recompensas com quinquilharias e tranqueiras caras. Cai nesta armadilha com meu programa de fidelidade de operadora de telefonia móvel (desde 1993) que, recentemente, migrou meus pontos para um programa que considero a maior cilada de todas: Multiplus.

Cash Back

No cash back, que também tenho usado em algumas opções, o serviço prevê retorno em dinheiro, e não ficcional como os pontos e milhas de outros programas, pode conter algum tipo de cilada como, pro exemplo, darem desconto de 50% no preço aumentado em 100%. A dita promoção Black Friday é pior do que Cash Back. Os programas de Cash Back pode até retornar dinheiro vivo na conta do participante.

Personalizados

São mais simples do que os exemplos anteriores e se bem utilizados podem dar um retorno satisfatório. Tem lá suas “armadilhas” mas, em termos de cilada, são menos daninhos. São meio toscos mas resolvem. Almoce e concorra a um sorteio de semana gratuita (uma pena que pessoas que almoçam juntas não pensem em como otimizar ganhos dos comensais), compre dez frangos e ganhe um, e por aí vai.

Cilada Master

A coisa ficou complicada. É cada cilada que nem o Bino consegue identificar. É necessário ser economista para calcular qual é mais vantajoso. Mas a cilada master, pelo menos no Brasil, chama-se conversão para o programa Multiplus.

Mas não existe nada que possa ser pior. Programas ditos personalizados, que não apresentam nenhum estudo de cálculo atuarial. Quando ficamos nas mãos de marqueteiros, especialmente os criados no mundo das redes sociais, o risco de cairmos numa cilada é enorme. Pior que participo deste tipo de programa.

cálculo atuarial é um método matemático que utiliza conceitos financeiros, econômicos e probabilísticos para determinar o montante de recursos e de contribuições necessárias ao pagamento de despesas administrativas e retorno dos benefícios futuros, como aposentadorias, recompensas, cash back, brindes, milhas e pensões a serem concedidas, no presente e no futuro.

Se cada participante não fizer as contas  e concentrar seus gastos em retornos específicos e direcionados, se não fizer as contas olhando para o próprio calo e não deixando-se enganar por marqueteiros e disseminadores de correntes (ou picaretas de vendas de programas de fidelidade), o prejuízo é certo.

Cilada Consciente

Programas de fidelidade trata mal os clientes leais, que possuem custo menor e recebem menos valorização ao longo do tempo. O valor intrínseco percebido por estes clientes é menor e novos entrantes possuem mais benefícios no curto prazo. A cilada é progressiva.

O dilema “tostines não é analisado pelos clientes fieis. Eles gastam mais porque são fieis ou  são fieis porque gastam mais? Ganhar migalhas de recompensa – um destes que utilizo da R$5,00 para cada novo afiliado que eu indicar e iniciar o programa gastando… isto mesmo, R$5. Paga nem um capuccino.

Estes programas estão burocratizando tanto a nossa vida de cidadão bancarizado virtual que virou um tormento controlar tudo. Aí a cilada é certeira. Vale a lei do menor esforço.

Sou um pato consciente.

 

Imagem: Reprodução Internet

 Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de sangue para transfusão ou de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Telefone: (31) 3295-4584

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.