Torcedor Viking - Iceland Tolfan

O torcedor Viking – Tólfan

Islândia

Uma pequena nação, realmente com muita história, pré-medieval, quase pré-histórica. Renovaram a ideia do torcedor que faz a diferença. O torcedor viking. Colocaram a ilha gelada na trilha do futebol mundial e tornaram-se exemplo de torcedor, de civilidade, de avanço. Certamente, grandes não pela extensão territorial ou número de habitantes.

Vikings são assim !

Islândia ( Iceland, diz-se Ístlant ) é um vocábulo que provém da língua nórdica antiga, que significa “terra do gelo”. O primeiro nome do país foi Snæland (“terra de neve”), por certo cunhado pelo navegador viking Naddoddr, um dos primeiros povoadores das Ilhas Faroe.

Portanto, são vikings !

Torcedor Viking

Os vikings são parte importante da história da humanidade. Saíram dos países gelados, talvez da Noruega, ocupando a Suécia, Dinamarca, Islândia, Ilhas Faroe e impondo seus deuses nas terras à Oeste. Primeiramente, invadiram a Inglaterra e depois América do Norte. Não são destaque na história mundial pois os países católicos e da Europa Central preferiram enaltecer as grandes navegações e cruzadas. Lógico que séculos após os vikings irem além do que era imaginável.

Vi a série Vikings ( Original Netflix ) onde os comandados por Ragnar mostraram ao mundo (tá certo, com violência extrema) seus deuses. A Islândia não tem nenhum “deus” do futebol, longe disso, mas encarna, com o torcedor viking ( Tólfan ) o espírito guerreiro e companheiro. O tal de “juntos somos muito mais”.

Tólfan

Existe uma mística sobre torcedores argentinos de times de futebol. Consequentemente, a forma que os hermanos torcem para sua seleção nacional é parecida. Os hooligans ficaram conhecidos pela violência, estes torcedores diferenciaram-se dos Tifosi da Itália e outros tipos. Por exemplo, os fanáticos turcos são o oposto da belíssima coreografia dos Red Evils na Copa do mundo de 2002.

Além disso, a violência dos Barra Brava, assim como a dos Hooligans, evidencia porque o torcedor viking Islandês não se associar a seus colonizadores. Compreendo a justificativa de que o movimento que eles criaram seja atribuído a alguma torcida de time escocês.

Tólfan, o torcedor viking, pode ser traduzido como La Doce ( Argentina ), Camisa 12 – nome das primeiras torcidas organizadas do Brasil – que queriam passar a ideia de 12 jogador a favor de um time. Esta é a ideia. Portanto, nem melhor, nem pior.

Outro fator importante foi quando o técnico Lars Lagerbäck entrou em contato com a meia dúzia de torcedores. De  vexames constantes e público diminuto, ano após ano, o torcedor viking ficou melhor. Desde então, a diversão rolou solta. Verdadeiramente o “muito além de futebol”.

Torcidas Organizadas

Discordo do modelo de torcidas organizadas do Brasil, porque acham que copiando tudo que venha de fora, especialmente as torcidas argentinas, são melhores que outras no Brasil. Torcida tem que ser como o torcedor viking, o Tólfan. Consequentemente, o verdadeiro décimo segundo jogador.

Em conclusão, vejo que ser torcedor viking, como os islandeses é fácil, no país deles. Não tenho a mínima pretensão e há muito deixei de me preocupar com a Selenike. No caso das torcidas de times, ir ao estádio e ver organizadas no Brasil torcendo para elas, é deprimente. A maioria é apêndice de gangue, briga com torcedores do próprio time porque, na maioria dos casos, é conduzida por beócios. Parece que cada tipo de torcedor pensa que é mais relevante e decisivo do que o adversário, acha-se o melhor Tólfan.

Não é !

Torcedores tupiniquins são fracos e podem atrapalhar muito o time (vaiar durante o jogo é estupidez !). Mas o torcedor viking tá provando que pode ser diferente e muito melhor. Vejo torcedores indo ao estádio para tirar selfie e ficar dedilhando nas redes sociais e se achando o máximo. Resta provado, grita e ficar batendo atabaque não é sinônimo de qualidade da torcida.

Copa do Mundo

Escrevo pouco sobre futebol neste blog. Prefiro falar de coisas boas (se é que existem neste meio), porque no Brasil, não tem coisas boas fora das quatro linhas. A melhor e mais recente que destaquei foi sobre o amistoso do Barça contra a Chape.

Ainda assim, fiquei impressionado devido a presença e organização do torcedor viking na Euro 2016. Desde então, passei a observá-os e a integração da seleção com o torcedor viking, a partir da classificação entre os oito melhores da Euro´16, foi definitiva.

Enquanto jogadores são contratados por milhões de Euros, ver a Islândia conquistar vaga para uma Copa do Mundo é gratificante. O fato mais notável é que muitos deles são profissionais nas mais diversas especialidades e dedicam-se ao máximo pelo país o mesmo que no futebol. Deveriam servir de exemplo para jogadores e torcedores do Brasil.

Para o torcedor viking, sem dúvida, o silêncio, entremeado ao seu grito de guerra, significa o melhor. Também identifiquei que, o torcedor viking torce para seu time além de respeitarem os adversários e entenderem suas limitações. Assim sendo, entendo que não queiram se equiparar a Barras Brava, Hoolingans e similares.

Como resultado, Tólfan, vocês são o torcedor viking global !!!

#TamosJuntos !!!

Arriba Ístlant ! Silêncio !!! Ístlant ! Silêncio !!! Ístlant !

Imagem: IcelandMag

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.