Eu tenho um sonho

Nós temos um sonho

Um sonho

“Eu tenho um sonho” (I have a Dream) é nome popular dado ao histórico discurso público feito pelo americano Martin Luther King. Naquele discurso, realizado a mais de 55 anos atrás, o ativista político falava da necessidade de união e coexistência harmoniosa entre negros e brancos. Da mesma forma como no discurso que fez parte da “Marcha de Washington por Empregos e Liberdade”, lutamos por liberdade. Naquele momento decisivo na história do Movimento Americano pelos Direitos Civis era justo. Igualmente, ainda hoje, lutamos por nossos Direitos Civis e de ter um sonho.

Desde 1808, o Brasil vive sob domínio dos escravocratas. Do mesmo modo que aconteceu com a Inconfidência Mineira, todos os movimentos por liberdade e direitos civis são sufocados. A bandeira do meu estado (Minas Gerais) tem a frase “Libertas Quae Sera Tamen” que tem alguma coisa  a ver com o sonho de Liberdade. Tem também um grande vermelho que poderia simbolizar o sangue que é derramado para se obter liberdade.

Concluo que nossa liberdade não chegou, ainda.

quæ sera

Existe uma polêmica na tradução da frase de nossa bandeira, conforme enciclopédias virtuais. A original, feita por inconfidentes e latinistas confiáveis, foi retirado da primeira Écogla de Virgilio. Fazia parte do dialogo entre Meliboueus e Tityrus.

"Et quæ tanta fuit Romam tibi causa videndi?"

"Libertas, quæ sera tamen, respexit inertem,
(Candidior postquam tondenti barba cadebat,
Respexit tamen et longo post tempore venit,
Postquam nos Amaryllis habet, Galatea reliquit.").

A discussões vão longe e chegam até às camisetas de jovens rebeldes que parodiam a frase com um “liberdade ainda que a tardinha”.

Por exemplo, quando começo alguma discussão sobre a frase e seu significado, logo aparecem os zoadores para dizer que levo as coisas a sério demais. O que poderia motivar estes pobres coitados a pensar? Parece que não temos liberdade nem de pensar, quanto mais de termos um sonho. Liberdade de sonhar é tudo. É o espírito dos inconfidentes e a ideia central de Luther King, Mandela, Malcolm X e muitos outros.

Prisão mental

Vivemos momentos difíceis. Luther King, se tivesse a tecnologia das redes sociais, teria as dificuldades que teve? Nossos Inconfidentes conseguiriam a república de Minas?

As redes sociais estão a serviços dos poderosos, assim como a mídia sempre esteve ao lado de quem manda e domina. Liberdade é somente um sonho. Por analogia, liberdade de expressão não tem nada a ver com um sonho, individual ou coletivo. Estamos na era da informação e, infelizmente, na era da prisão mental.

Uma das versões de tradução da frase da bandeira mineira, explica a nossa triste e dura realidade. A liberdade só chega tardiamente, como no poema de Virgílio? Ou nós que não vamos à luta quando temos um sonho?

Manipulação de Massas

Desde que criei este blog, eu tenho um sonho. Sonho que as pessoas saibam ler, uma vez que, somente assim, poderão escrever e entenderão o mundo de uma maneira diferente. Einstein, dizia que “A mente que se abre a uma nova ideia, jamais voltará ao seu tamanho original.”.

Ver as manifestações por prisão das pessoas, ver as questões de racismo, preconceito, homofobia e outras sendo colocadas acima de tudo e de todos e tratadas com uma pretensa forma de naturalidade é preocupante. Quando se briga por cerceamento, ausência de direitos civis e até humanitários, é porque, certamente, estamos fazendo tudo errado. Um sonho de Luther King, de acordo com a realidade brasileira, parece impossível. Estamos perdendo direitos civis, direito ao trabalho, liberdade de expressão (a verdadeira) e até de sonhar.

Após a criação deste blog, tenho estudado e lido muito, sobretudo alguns assuntos que nunca havia parado para refletir. Leio muito e produzo post sobre filosofia , sobre manipulação de massas, sobre falácias e sofismas. Tenho observado que a maioria das pessoas que lê e pensa, sai com a cabeça diferente, embora a maioria tenha receio em verbalizar o que pensa, uma lástima.

O nosso discurso não deveria ser “I have a dream”.

Nosso discurso (e não meu), deveria ser Libertas não é um sonho !

 

P.S. Post publicado, nesta data, em homenagem aos 50 anos da morte de Martin Luther King.

Imagem: Reprodução Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *