Refinaria - Pedro Parente

Ociosidade criminosa na refinaria

História complexa

Sabe aquela história do “… não é pelos R$0,20 ! “, que depois descambou para outras, e no meio do caminho tinha uma pedra chamada “refinaria” de Pasadena. Nem tudo é como parece, e a cada fio que se puxa do novelo, sobretudo se descobrimos que não sabemos quase de nada.

Tenho alguns conhecidos que me recriminam por tentar debater alguns assuntos. Tenho alguns defeitos que, eventualmente, consigo controlá-los. Entretanto, dependendo do interlocutor, exerço a minha verve mal educada e aparentemente grosseira, de maneira intencional.

Aparentemente por causa do problema de comunicação e hipocrisia que vivemos. Está determinado que não se pode falar verdades, ainda mais sobre refinaria. Se as verdades não são nossas, devemos apenas concordar. Gente que pensa de forma rasteira e pueril, não aceitam o debate.

Portanto, este texto é uma tentativa de evitar minha participação em timelines alheias e variadas, repetindo explicações. Mostrar a minha opinião, para aqueles que não querem saber de nada, e nem tem opinião própria formada, pode setedioso. As crises do Petróleo (verdadeiras) são passado, “nossa” crise de petróleo é de caráter e ética, de cabo a rabo.

Petróleo no mundo

Para começar um debate, é necessário alguma informação básica comprovável. Como são muitas escolhi um Infográfico que indicas as RESERVAS PROVADAS no mundo. Queria apresenta uma mapa das refinarias, mas ele está majoritariamente, nas mãos de de quem compra mais óleo cru.

 

Fonte: Anuário Estatístico ANP 2015

Fonte: Anuário Estatístico ANP 2015

 

Dessa maneira, imaginem os seguintes personagens: EUA, Rússia, China, Oriente Médio, Europa, Brasil, Venezuela e Síria. Usem seu raciocínio abstrato para imaginar o caminho do óleo cru para o maior consumidor mundial. Pensem onde podia existir uma refinaria e o progresso que poderia proporcionar para muitas nações. Assim como fiz quando disse que os caminheiros estavam sendo massa de manobra, aqui vou tentar mostrar porque Pedro Parente saiu. E, consequentemente, porque não vai dar certo o restante da “novela”.

Parente

Já que o tema do dia é a demissão deste Pedro Parente, vamos a ele. Puríssimo diversionismo !

A população nem se lembrava que ele foi responsável pelo episódio do “Apagão” durante o governo FHC, que, naqueles episódios também não mandava nada, assim como o Temer atualmente. Parente é, verdadeiramente, um  capitão-do-mato a serviço das oligarquias, defende quem paga mais. Entreguista de primeira hora que voltou ao poder com o golpe de 2016, apoiado pelas oligarquias e “donos” do país.

Pois sou mais do que reticente.

Fosse Temer um presidente de verdade, não teria nem nomeado o Parente. Em função das fissuras entre golpistas,  as oligarquias decidiram que era melhor exonerá-lo… Rapidamente, escolheram outro capitão-do-mato que, com o obsequioso silêncio servil, vai domar os insatisfeitos.

Ato contínuo, os petroleiros suspenderam as greves “pipoca” e vão negociar. Vão tentar representar todos os brasileiros. O locaute e ações do Temer (a mando das oligarquias) ferrou mais ainda com os setores de avanço social e beneficiou somente grandes consumidores de diesel. Diminuir o preço das passagens de ônibus, nem pensar.

Pré-Sal

Só para pontuar o assunto, posto que muitos agentes da desinformação continua repetindo sandices desconexas. Após a reeleição, oposição ao governo Dilma-Temer declarou que não a deixaria governar. Bastou a presidenta sugerir que percentual das verbas originadas pelo pré-sal fossem destinadas à educação que iniciaram o processo de fritura. Assim sendo, falar que a Lava-Jato, o Impeachment, a refinaria não tem nada a ver com locaute, Pedro Parente e política de preços da BR, é estultice.

Atribuíram a Lava-Jato ao PT e a maioria dos condenados e presos não é do PT. Resolveram NÃO investigar nada da Petrobrás antes do governo do PT, por motivos óbvios. Nem vou reproduzir o que penso da Lava-Jato aqui. Muita gente tá imunizada e adestrada, já tenho posts sobre o tema e muitos mais serão publicados.

A.G e D.G

Em resumo, o pré-sal, anteriormente ao golpe, tinha os seguintes pontos focais:

  1. Esconderam as reais estimativas de reservas para conter a gana das corporações multinacionais;
  2. Plataformas passara a a ser produzidas no Brasil para gerar empregos e competência;
  3. A política de preços de um país auto-suficiente foi voltada para o Brasil e não para acionistas;
  4. Divulgada as estimativas de reservas, buscou-se consolidar a auto-suficiente técnica e comercial;
  5. Construção de refinaria para aumentar a capacidade de refino, e diferentes regiões do país;
  6. Legislação que destinava percentual de recursos de lucros deveria ser voltada para áreas sociais.

Depois do golpe, conforme interesses transnacionais, passou a ter a seguinte linha:

  1. Privatização do pré-sal;
  2. Redução da operação de refino em cada refinaria no país;
  3. Politica de preços “globalizada” desconsiderando inflação;
  4. Exportação de óleo e importação de refinados;
  5. Preocupação com dividendos de acionistas e valor em bolsa;
  6. Transferência de construção de plataformas para a China;
  7. Subvenção para empresários dos transportes a partir de retirada de recursos da área social.

Certamente, alguém que ler vai dizer alguns impropérios contra a minha pessoa, como li numa destas redes sociais. Entretanto, eu preferiria ver os argumentos contrários e/ou a refutação do que cito, de passagem. Recomendo o Mapa Mental sobre a OPEP e o que produzem, antes de me crucificarem.

O caso dos estaleiros é lapidar, uma vez que tira postos de trabalho dos brasileiros, privilegia negócios internacionais com empresas petrolíferas e concorrentes, e esvazia a Petrobrás. Bem do jeito planejado pelos golpistas.

Refinaria

Tudo começou a ruir quando a ideia de “prá que refinaria no exterior ?”. Factoide difundido para justificar os “crimes” da ex-presidenta do país e de Graça Foster, então comandante da BR. Certamente, os serviçais das grandes “irmãs” globais do petróleo, não estavam felizes com a auto-suficiência do Brasil. Ainda mais que a possibilidade de independência do país, diante da matriz energética, é notória.

Temos energia eólica, hidráulica, solar, renovável e petróleo. O pré-sal permitira o Brasil entrar na OPEP, sem cabresto de ninguém. Portanto, somos um perigo para a paz mundial e ainda queremos ter refinarias no exterior?

É provável que, aqueles que entendera o infográfico acima, com um pouquinho de boa vontade, conseguirão perceber a importância de uma refinaria da Petrobrás.

Pasadena

No mesmo ano da reeleição da Dilma, que coincide com a publicação do infográfico do mapa dos produtores de petróleo, a BR publicou o documento “Dez perguntas e respostas para entender a compra de Pasadena“. Foi inútil porque ninguém queria respostas. Um investimento deste porte não é como um cidadão ir ali na avenida com dinheiro no bolso e comprar um carro importado 0km.

Com toda a certeza, só alguém muito mal intencionado pode dizer que as respostas do documento eram mentiras. Dilma foi reeleita e o golpe teve início. Em síntese, perdemos a refinaria de Pasadena; o pré-sal, os royalties destinados a saúde e educação e muitos empregos diretos de brasileiros. E ainda continuaremos pagando caro por refino em refinaria transnacional

Inegavelmente, nem a história recente este povo quer saber. Mal sabem de geografia do próprio arraial. E eu que sonhava com uma refinaria para chamar de minha. #SQN

Greve e Locaute

Nesse ínterim, muita gente que habita rede social e não tira os olhinhos da Globo e congêneres, está confusa. Miyamoto Musashi dizia: “… Ao saber o que existe, podes saber o que não existe. Isto é o vazio. As pessoas deste mundo olham para as coisas erradamente, e pensam que o vazio é aquilo que não compreendem. Isto não é o vazio. Isto é confusão…”.

Não tem nada de complicado, caminhoneiros foram feitos de massa de manobra. Uma vez que, após ganharem apoio da população, que nem precisa de diesel (diretamente), imaginaram que conseguiriam ganhos. Foram tungados em mais de R$50 bilhões e a população ainda vai pagar a conta. Encerrado o locaute, caminheiros autônomos e petroleiros mostraram, de certa forma, a importância da organização sindical. Entretanto, revelaram que a capacidade de organização de um movimento com reivindicações além do próprio umbigo, ainda é falha.

Os petroleiros sabem o que está em jogo. Outros nem tanto, estão confusos, mal informados ou mal intencionados.

Em outras palavras, os oligarcas mandaram demitir o Parente ecolocaram outro serviçal, que vai manter a politica de preços. A guerra continua, as cidades estão desabastecidas. Sem dúvida, o povão de rede social está mais confuso e desnorteado do que cachorro que cai de mudança ou que viaja numa canoa em rio caudaloso.

O que vem por aí

Petroleiros reivindicam outras coisas, não apenas as quatro que destaco :

  1. Aproveitamento da capacidade ociosa de mais de 30% das refinarias brasileiras;
  2. Retomada da construção de plataformas de exploração no Brasil;
  3. Mudança da política de preços de derivados do petróleo;
  4. Diminuição do subsídio de diesel importado.

Uma das coisas que muito me incomoda, eventualmente, é a questão do denominado “gás de cozinha”. Conheço um pouco do assunto e a cartelização de ponta a ponta do setor é absurda. Nem o maior milionário do país, se quiser entrar no ramo de GLP conseguirá sobreviver. Esta oligarquia do GLP “gás de cozinha” está roubando o brasileiro e o tesouro nacional desde a criação da Ultragaz em 1938. São oitenta anos e ninguém rompe o lacre.  Mas GLP é tema para outro texto.

Desse modo, a luta dos petroleiros é dos brasileiros não-entreguistas e não-vassalos.

Diversionismo

Enfim, não vou negar que comemorei a demissão do Parente. Entretanto, foi uma comemoração, ipsis literis,  “Pírrica“. Tenho a certeza de que estes que comemoram efusivamente não conhecem Sun Tzu.

Negro é o futuro, assim como o petróleo !

 

Charge: Bira

P. S. – Reitero o pedido feito na página de apresentação. Qualquer observação, sugestão, indicação de erro e outros, com o propósito de melhorarmos o conteúdo, coloquem aqui ou na página do Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.