Recursos Renováveis

O fim dos recursos renováveis

Recursos Renováveis

Em primeiro lugar, parabéns ! Finalmente, nós todos conseguimos, não está sendo fácil, mas chegamos lá. Conforme a ONG Global Footprint Network, a humanidade pode comemorar, nesta data, o fim dos recursos renováveis.

Como assim?

A ONG estima que o planeta leva um ano para renovar os recursos necessários para a humanidade sobreviver. Neste primeiro de agosto teremos consumido tudo que seria renovado até 31 de dezembro.

Não entendeu? Eu explico.

Por exemplo, aquela doninha que lava o passeio ou a rua com a água da nascente que foi tratada com flúor. Imagina  aquela pessoa que deixa a luz acesa porque ela é quem paga as contas. A água e a luz são recursos renováveis, o planeta os produzem em seus diversos ecossistemas. O fato de alguns poucos ganharem dinheiro com estes recusos e outros terem para pagar, não torna racional e justificável o desperdício.

A noção de comunidade em harmonia, conforme a proposta de Osho ( Melhor Morto do que Vermelho ) não vingou e não foi entendida. Aquela história de “sabendo usar não vai faltar…” é balela. Não sabemos usar e acabou. Se, porventura, levássemos 366 dias para consumir os recursos renováveis produzidos em 365 dias, teríamos, ao final de dez anos, um crédito de dez dias.

Hoje, comemoramos nosso deficit do exercício de a 152 dias.

Dívida

Principalmente os brasileiros, usam os “dedinhos” sujos para apontar a sujeira dos outros. Desta forma, fico pensando nas pessoas que desperdiçam sem a menor cerimônia, e também naqueles que vão às redes sociais para fazer proselitismo e não conseguem colocar uma coleta de lixo seletiva em casa.

No quadro por países o Brasil cumpriu sua meta antes do planeta como um todo, estamos “devendo” desde 19 de julho. O mais curioso é que os países civilizados já estão no vermelho desde o primeiro semestre. Surpreendentemente, Vietnã, Jamaica, Cuba, Colômbia e Egito, serão os últimos a entrarem no “débito”. Por outro lado, Qatar, Luxemburgo, Emirados Árabes, Estados Unidos, Canadá, Kwuait, Dinamarca e Austrália gastaram tudo nos três primeiros meses.

Sabemos quem paga a conta?

Eu sofro, de verdade, com isto. Já tentei que pessoas próximas evitem desperdício. Tenho insistido para que usem racionalmente os recursos renováveis. Entretanto, sinto-me impotente ante a imbecilidade humana perdulária.

Em resumo, temos uma “dívida” a ser paga nos próximos cinco meses. Eu não sei como pagaremos, mas, certamente, a conta vai pesar em nosso bolso. Água, limpeza urbana, energia alternativa, recursos renováveis e recicláveis são pauta para os próximos anos. Mesmo quem tem dinheiro para pagar, deveria se preocupar.

 

Imagem: AFP

P. S. – Reitero o pedido feito na página de “Advertências” deste espaço virtual. Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas. Coloquem aqui nos comentários ou na página do Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.