Eleições 2018 - Bolsominions

Eleições 2018 sem esperança

Eleições 2018

Em primeiro lugar, ja escrevi que o mundo acabou em 2012, segundo calendário Maia, e poucos acreditam. Escrevi em “Singularidade, Alienígenas e Minhocas” e em muitos outros textos coisas difíceis de entender. As pessoas fazem troça, portanto, é pura confusão, como dizia Miyamoto. Assim sendo, vou escrever sobre as coisas mundanas como as eleições 2018 e ver se o pessoal ímpio se enxerga.

Vamos combinar uma coisa, este Gre-Nal na qual se transformaram as eleições 2018 vai mostrar que o fundo do poço tá longe. Desde que as oligarquias determinaram que a Dilma não teria um segundo mandato, isto tudo está acabando com o país. Vou generalizar, afinal, se a maioria que habita as redes sociais, se acha expert em votar, eu posso tudo. Me dou ao direito de cometer a falácia da “generalização apressada“, este povo não vai entender mesmo.

Voto Facultativo

Após observar o desenrolar dos fatos e comportamento da mídia e redes sociais sobre as eleições 2018, perdi as esperanças.

É facultativo o voto para os analfabetos, maiores de 70 anos e, da mesma forma, para os maiores de 16 e menores de 18 anos. Quando estas pessoas não se interessam nem em comparecer às urnas para exercer seu direito, tenho a certeza de que está tudo errado. Defender anular voto, dizer que vai justificar e outras sandices é típico de gente covarde e analfabeto político.

Estudo, ocasionalmente, sobre eleições e processos eleitorais, logo depois que votei pela primeira vez. Vendo o baixíssimo Interesse de menores de 18 anos nas eleições, tenho a certeza, os pais não tiveram habilidade para educar seus filhos para o mundo real.

Pós Golpe

Precipuamente, não acredito que os mecanismos restritivos são positivos. Na realidade, não foram tão restritivos assim, foram decretados pelo TSE et caterva, e foram permissivos para quem tem dinheiro. Após o golpe e as far(s/r)as da tal política de “financiamento de campanha”, desisti de tudo. Estão colocando mais dinheiro público, abrindo espaços para jeitinhos e maracutaias.

Não apoio como está sendo conduzida a eleição 2018 pela mídia, com as orientações do TSE e Judiciário “eleitoral”. Operadores do direito acham que sabem e podem legislar sobre a Internet. Teve ministro do STF que arrotou merda pelas ventas ao falar em anular eleição por causa de arroubos virtuais. Sabe de nada o otário, e quem defende este rábula, e se põe a falar sobre como funciona a Internet em redes sociais não passa de teleguiado.

Inegavelmente, é um horror ver gente falando da máquina de votar, uma vez que é utilizada desde a segunda metade da década e 1990 e está caduca.

Não aplaudo a Globo ter feito, através de seus fantoches do JN, o que fizeram com Bolsonaro. Fizeram pior com o Ciro e os eleitores de A e B não mudaram de opinião. Além disso, eleitores de outros candidatos prosseguem na saga de ganhar adeptos via redes sociais, pagos ou não.

Debates e alanques, virtuais, midiáticos e reais, nas campanhas majoritárias, estão reproduzindo mais do mesmo.

Bolsominions

Abro um espaço neste post para falar dos bolsominions, que são um capítulo à parte nestas eleições de 2018. Federalizamos a estupidez coletiva. Num debate com um bolsominion é impossível mostrar que o “malvado favorito” deles é um ignorante. Tenho dito, há algum tempo, para não se preocupar com o cara. Até a Globo vai dar um jeito nele… ( não dará jeito é nos bolsominions ! ) …

Num debate inbox, mostrei algumas “verdades” e pedi ao bolsominion para acordar, ele escreveu vou dormir.

Bolsominions são a prova de que o mundo acabou em 2012 e tivemos 2016 e teremos 2018 como prenúncio das trevas ….. vai vendo !

Ideias

Em suma, o debate das ideias, por pessoas e não por robots e chatbots é que faz crescer todas as pessoas. Por mais díspares ou, aparentemente estúpidas, que sejam as propostas e opiniões. Diz o provérbio que “O mediocre discute pessoas, o comum discute fatos/coisas e o sábio discute ideias”.

Não importa o que eu faça, vou me preocupar em estar perto de pessoas que 
sabem muito mais do que eu. 
O que te faz crescer são as pessoas.

Tabata Amaral

Como se não bastasse, nestas eleições 2018 estão discutindo, exclusivamente, sobre as pessoas, o que é completamente equivocado. Absolutamente, não existe nada de “novo”, e pior, muita coisa apresentada como nova é farsa. Este pessoal que mudou o nome de seu partido políticos, representam o escárnio da classe política para com o brasileiro.

As eleições dos legislativos são mais importantes do que dos Executivos. Nas eleições 2018, as campanhas dos proporcionais foram reduzidas como forma de manipulação e manutenção da democracia guiada. A proposta de manutenção do status quo é clara, mas completamente opaca para a massa ignara. E fica pior quando vejo pessoas minimamente esclarecidas entrando num “debate” diversionista e estéril sobre candidatos do Executivo.

Enquanto isto, na “Sala de Justiça” ou na “Caverna do Dragão”, como queiram, tudo continua como dantes.

Enfim, as eleições 2018 é mais do mesmo, destarte, nem vou esperar a campanha “esquentar”.

 

Imagem: Reprodução Internet

P. S. – Reitero o pedido feito na página de “Advertências” deste espaço virtual. Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas. Coloquem aqui nos comentários ou na página do Facebook.

2 comments for “Eleições 2018 sem esperança

  1. Daniel Alves
    19/09/2018 at 18:43

    Concordo sim com quase tudo o que foi expresso.Mas , vejo em Bolsonaro um diferencial do sistema imposto. Concordo que não é o candidato ideal, mas em face ás opções é o menos ruim. Exemplo de mudança no sistema vemos em BH. Um candidato se elege visando beneficiar a seu clube de futebol, mas por não pertencer ao sistema, acaba esfacelando algumas permicividades ocultas ……….

    • 19/09/2018 at 19:09

      Daniel, discordo da comparação. O país não é a cidade. O time de futebol do alcaide não significa nada na capacidade dele como gestor. Tenho tranquilidade para falar pois sabia da qualidade do alcaíde como gestor nas coisas particulares. Daí, não me surpreende.
      No caso do Bolsonaro, citado como você como “menos pior” ou coisa que o valha. Discordo e muito. Embora ele NUNCA tenha experimentado algo do Poder Executivo (isto não é problema quando o mandatário cerca-se de gente competente no Executivo de cada área).
      No caso deste candidato, sinto muito mas ele é pior politicamente, administrativamente e na capacidade cognitiva.
      Existem ao menos quatro melhores do que ele para presidente (cada um com seus defeitos mais ou menos graves).
      O problema é que o presidente que for eleito, se não tiver maioria do COngresso, estará deposto em seis meses, INCLUSIVE o
      Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.