Microempreendedor - Kino

Microempreendedor – A Falácia Final

Empreendedor Despreparado

Anteriormente, quando criei este blog, eu dava consultoria para um sindicato de trabalhadores e tentava ajudá-los. Estes trabalhadores estavam sendo demitidos e não estavam preparados para um “mundo novo”. Destaca-se, especialmente, aqueles que ultrapassaram a casa dos 50 anos de idade ou continuavam trabalhando tendo se aposentado. Portanto, a maioria sonhava em ser empresário e não passava de candidato a microempreendedor desesperado.

Comecei a publicar, nesse ínterim, textos sobre o tema empreendedores, trabalhos em tempos de redes sociais etc. O primeiro foi “Empreendedores despreparados – A Epidemia” e a ele sucederam outros tantos como a série “Crise: Empreendedores Despreparados”, com mais de uma dúzia de publicações. Publiquei ainda vários textos com aconselhamentos que passava para os que precisavam se situar neste novo mundo.

Microempreendedor Desesperado

Ser microempreendedor é muito diferente de ser empreendedor e não tem nada a ver com ser empresário, investidor ou patrão. Entretanto, o brasileiro mediano tem um certo ar superior em todos os segmentos e classes sociais. Costumo dizer que se o cara abrir o sigilo bancário, telefônico e fiscal dele, não sobra pedra sobre pedra.

Desde abril de 2016 (data da publicação do texto inicial desta temática), as coisas ficaram muito piores, e o nível de desemprego disparou. Em seguida, muitos dos desempregados caíram em muitos contos do vigário e muitas correntes e pirâmides. Perderam seu dinheiro do FGTS, das demissões, PIS e outras receitas e, muitos deles, agora são microempreendedores.

Certamente, quando uma pessoa tem dinheiro para se sustentar durante algum tempo, consegue superar os obstáculos. Sem dinheiro e, fazendo dívida para montar negócio, não é fácil e a maioria dos que tentam fracassam. E, como se não bastasse, a situação fica dramática quando gente inescrupulosa se apresenta como coach ou vendedor de alguma “oportunidade imperdível”.

Charlatanismo

Palavras como meritocracia, liberalismo, startup inovadora e outras tantas, que tem feito alguns poucos ganharem dinheiro à custa do sacrifício alheio, são dignas de charlatães.

Cito dois exemplos que estão provocando retumbantes fracassos e prejuízos. O primeiro foi a onda das franquias de “Paleteria Mexicana”, não bastava ter sorveteria e picolé, tinha que ser a tal paleteria. Outro mico é a tal de Barber Shop, uma vez que deu dinheiro somente para quem montou escolas de barbeiro.

Desemprego e Desespero

Conforme levantamento do Portal do Empreendedor, os estados da União com maior número de desempregados – SP – MG – RJ – são os maiores em número de microempresas individuais (MEIs). Em Minas Gerais, Belo Horizonte, Contagem, Uberlândia, Juiz de Fora e Betim lideram em desempregados e registro de MEIs. A coisa vai ficar mais complicada se, para diminuir o índice de desemprego, motoristas de aplicativos juntarem-se a motoqueiros de aplicativo de entrega como MEIs.

Atividades de prestação de serviços (salão de beleza, entregas, vendas nas redes sociais etc) são a maior representação neste contingente. A maioria são atividades dignas, por outro lado, não se pode dizer que a maioria de quem está exercendo estas atividades merece respeito pelo trabalho realizado. O esporte nacional chamado “tenho que levar vantagem, certo?” está atacando a tudo e a todos.

Em Minas Gerais devemos ter mais de 1 milhão de MEIs, o que seria em torno de 10% da população e em breve, teremos mais MEIs do que empregos formais. Desemprego e desespero viraram sinônimo de microempreendedor e a “culpa” recai sobre a crise. Observo que tem muito trabalhador um tanto quanto arrependido por ter imaginado sua independência e o “estrelato” empresarial e profissional. Vejo alguns casos que até estes “empresários” se auto-denominam como “vitoriosos”, tipo por fora, bela viola. Tenho a certeza que existem casos de êxito comprovado, e eu acompanhei alguns, poucos, contudo, não devemos generalizar.

Falácia para microempreendedor

Os brasileiros ainda vão entender, se não vier nenhum meteoro antes, que os acontecimentos do país são responsabilidade dele mesmo. Acreditaram muito nas redes sociais e agora estão esperando um milagre que não vai acontecer. Afinal, estes cristãos só querem poder e púlpito para enriquecerem, não estão preocupados com a origem do dinheiro.

Em suma, seja de desempregados ou microempreendedores, tanto faz de onde vem o dinheiro, quanto mais desesperado, melhor.

Um verdadeiro rabo de foguete e que está enterrado a esperança de muita gente.

 

Imagem: Reprodução Twitter

P. S. –  Reitero também o pedido feito em muitos momentos da vida deste blog e presente na página de “Advertências“. Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas. Coloquem aqui nos comentários ou na página do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.